Wagner da Silva
Braço do Norte

A rotina de Anderson Marcelino Voss, o Deson, e de Sidnéia Daufembach Batista, a Neia, mudou drasticamente nos últimos meses. Eles serão papais. E serão cinco bebês de uma só vez. Cinco meninas! Se a felicidade é cinco vezes maior, imagina a responsabilidade…
É o segundo caso de quíntuplos de Santa Catarina, e pode ser comparado ao acerto em uma loteria do nível da Mega-sena. Neia está grávida de cinco meses e deve dar à luz em dois meses.

Casado há sete anos, Deson e Neia tiveram um filhos dois anos atrás. Apesar de uma gestação tranquila, o bebê faleceu. Mesmo assim, não desistiram da vontade de aumentar a família. E conseguiram realizar o sonho. A notícia foi recheada de emoções, afinal, cinco filhas e sem nenhum tipo de inseminação é algo muito raro.
“No ultrassom, elas apareceram com o mesmo tamanho. Isso mostra que estão bem formadas e trouxe alívio, pois ficamos preocupados com a saúde. Não quero nem sair do hospital sem que elas estejam todas juntas”, conta a futura mamãe ‘coruja’.

Haja pique para tanto compromisso!

Os dias têm sido bastante cansativos para a futura mamãe das cinco meninas. Entre as várias entrevistas, o trabalho e o acompanhamento das obras executadas para adequar a casa às novas integrantes da família, Anderson Marcelino Voss e Sidnéia Daufembach Batista ainda precisam encontrar um tempinho para pensar no futuro, nos cuidados pós-parto.

Pelos cálculos, o casal terá que administrar a casa como uma ‘pequena empresa’, já que passarão a ter funcionárias, uma para serviços gerais e duas para ajudar nos cuidados e higiene das recém-nascidas. “Sabemos que teremos muitos gastos. Não tínhamos plano de saúde, é tudo particular, além das roupas, enxoval e artigos de primeira necessidade. Mas o que mais importa é elas virem ao mundo com muita saúde”, diz o pai orgulhoso, que trabalha com a venda de veículos.

O médico receitou muitas horas de descanso, já que o parto está próximo, dentro de aproximadamente dois meses. E Neia tem o apoio também da outra catarinense que teve quíntuplos. “Ela disse que, após o parto, virá me visitar. Por telefone, já trocamos muitas informações. Ela será muito bem recebida por nossa família”, relata Neia.

O futuro

Educação, saúde, adolescência… Estes assuntos já dão ‘dor de cabeça’ aos pais quando se fala em um filho. Cinco da mesma idade então… Deson e Neia pensam no futuro das meninas.
“Os amigos pegam no nosso pé sobre o dia que elas começarem a namorar. Cinco genros, já pensou? A gente leva na brincadeira, mas elas terão que andar na linha”, brinca o pai.

A prioridade será a educação. “Elas terão a mesma educação que recebemos de nossos pais, acho o mais correto. No estudo, vamos incentivar elas a estudarem, cursarem faculdade e terem uma profissão que dê a elas boas condições”, ressalta a mãe.
E o casal não descarta ter mais filhos no futuro. “Não posso dizer que não quero, mas vou viver plenamente esta experiência. Quem sabe num futuro um pouco distante. Por enquanto, rezo muito para que as meninas fiquem bem”, acrescenta Neia.