Uma mãe desabafou sobre uma decisão muito difícil que precisou tomar. Ela irá mandar sua filha de quatro anos para viver com a tia pelo período de dois anos. E a mulher, que vive nos Estados Unidos, explicou por que tomou esta decisão em um desabafo na rede social Reddit.

Em depoimento anônimo, a mulher disse: “Meu marido é militar e está fora do país em combate por dois anos. E me ofereceram uma promoção no meu trabalho que essencialmente envolve entre 10 a 12 horas de trabalho por dia com muitas viagens e isso irá durar por dois anos. O lado bom disso é que vou receber muito mais dinheiro e após estes dois anos eu poderei ter um ritmo de trabalho bem mais tranquilo.

Meu marido quer muito que eu aceite essa promoção porque nós atualmente vivemos em um bairro muito ruim, com escolas ruins e essa promoção pode mudar nossas vidas. Eu finalmente iria conseguir me mudar para um bairro dos sonhos, ter uma casa com jardim e dar para a minha filha a infância dos sonhos que eu e meu marido nunca tivemos. Após os dois anos em combate, meu marido vai se aposentar do exército e receberá uma pensão, então no futuro minha filha vai ter até um pai que vai ficar em casa em tempo integral com ela.

Mas atualmente com a ausência do meu marido, eu não consigo cuidar corretamente da minha filha de quatro anos e aceitar a promoção. Então, nós decidimos que ela precisa viver com sua tia e tio no período do jardim de infância e pré-escola. Eles moram em uma região boa, com boas escolas, eles têm outros filhos, então ela poderá se socializar com outras crianças. Eu vou, com raras exceções, ficar com ela todos os finais de semana e também vou ligar todos os dias. Ela também vai receber cartas do pai dela e eu vou vê-la durante pelo menos um almoço ou jantar durante a semana.

Eu me sinto péssima fazendo isso. Mas é para o benefício dela. Eu odeio dizer ‘sacrifique agora, para ganhar depois’, mas é exatamente a questão. Ela NÃO ficará abandonada. Ela estará com a família e eu vou me certificar que ela se sinta muito amada. Meus pais e amigos acham que eu sou um monstro e que eu deveria ter recusado a proposta. Mas nós só não concordamos. Estou fazendo isso para que ela tenha uma boa infância. Eu sou uma péssima pessoa por deixar minha filha ir morar com a tia?”.

O relato dividiu a opinião dos internautas. Uma internauta inclusive falou sobre sua própria experiência: “Eu acho que você não está agindo certo. Com quatro anos é quando as crianças geralmente formam suas primeiras memórias permanentes. Minha memória mais antiga é de quando eu tinha 5 anos. E foi justamente minha mãe se despedindo de mim e eu só passei a vê-la nas férias. Eu cresci sem ela e foi muito difícil. Segurança financeira não vai significar muita coisa se sua filha pensar que você a abandonou. Mas ela também pode ficar bem e não achar que foi abandonada. Não dá pra saber como será. É uma decisão difícil. Eu jamais faria isso com meu filho, ele tem a mesma idade da sua e me parte o coração pensar em fazer algo assim”.

Outra internauta comentou: “Quando eu era criança meus pais tinha pouco dinheiro e nós vivíamos em um bairro muito ruim. Meus pais estavam sempre sofrendo por causa de dinheiro. Mas sabe qual é a lembrança que eu tenho dessa época? De ficar brincando com meus pais, cantando com eles. Eu tive uma infância feliz não porque eu vivia em um bairro bom, numa casa boa (coisas essas que nunca tive), mas porque meus pais me amavam, eram presentes e faziam questão que eu soubesse do amor deles. Uma criança não liga pro tamanho da casa, para o bairro…ela quer mesmo é ter um lar estável e amoroso”.

Já uma internauta comentou: “Às vezes é preciso da ajuda de muitas pessoas para criar uma criança. Se ela precisa da ajuda da irmã neste momento e vai deixar a filha com ela, quem somos nós para julgar?”.