O deputado Moacir Sopelsa (MDB) foi eleito por unanimidade, na tarde desta quarta-feira (2), presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina para o mandato que vai até 31 de janeiro do ano que vem. O parlamentar é o 51º presidente da Alesc na era republicana.

A eleição de Sopelsa foi possível graças a um acordo do MDB e do deputado Mauro de Nadal (MDB), com anuência dos demais partidos da Assembleia, para a divisão da Presidência da Alesc no biênio 2021-2023. Para isso, na abertura dos trabalhos legislativos em 2022, em sessão ordinária na tarde desta quarta, Nadal renunciou à Presidência para a qual foi eleito em 1º de fevereiro do ano passado.

Na mesma sessão, o deputado Nilso Berlanda (PL) renunciou à 1ª Vice-Presidência da Alesc, também parte de um acordo dentro do Partido Liberal pela divisão do mandato. Para o seu lugar, foi eleito o deputado Mauricio Eskudlark (PL).

A eleição

Com as renúncias de Nadal e Berlanda, o deputado Ricardo Alba (PSL), 1º secretário da Assembleia, declarou vagos os cargos de presidente e 1º vice-presidente. O deputado Kennedy Nunes (PTB), 2º vice-presidente, convocou sessão preparatória para a eleição do novo presidente, que foi comandada pelo deputado Romildo Titon (MDB), o mais idoso com maior número de mandatos de deputado estadual, como determina o Regimento Interno da Assembleia.

Sopelsa foi eleito por unanimidade entre os 38 deputados presentes. Fabiano da Luz e Luciane Carminatti, ambos do PT, não compareceram à sessão.

O novo presidente fez um discurso repleto de agradecimentos, direcionados principalmente aos familiares e amigos. Sopelsa também agradeceu um a um os deputados que o elegeram. Ao se referir à mãe Diamantina, ao pai Faustino e ao irmão Belmiro, já falecidos, se emocionou.

“Sou um filho de colono. Nos primeiros dias da minha vida, aprendi com os exemplos dos meus pais, de tratar sempre as coisas com lealdade, respeito e dignidade. Gostaria tanto que eles pudessem estar aqui nesse dia. Infelizmente, Deus já os chamou, mas eles lá de cima estão guiando os meus passos”, afirmou.

“Vou fazer tudo para que o nosso Parlamento siga atuante, forte, independente, mas sempre como o poder que é respeitosamente aberto ao diálogo com os demais poderes”, completou.

O irmão Vitor, a esposa Valentina, as filhas e a neta Sofia também receberam agradecimentos especiais do deputado. “Peço a Deus que me guie, que me faça fazer sempre o melhor e não esquecer nunca o respeito às pessoas”, disse.

O presidente eleito recebeu os cumprimentos dos parlamentares, como o deputado Neodi Saretta (PT), adversário político de Sopelsa em Concórdia. “Como conterrâneo, vejo com alegria sua candidatura. Estivemos em trincheiras políticas opostas, mas em todos esses anos aprendi a admirar e respeitar o deputado, que jamais ultrapassou os limites da civilidade e da cordialidade numa disputa política. Como concordiense, me sinto contemplado com a sua Presidência”, afirmou Saretta.

Vice-presidente

O novo presidente assumiu o cargo e convocou uma segunda sessão preparatória para a eleição do novo 1º vice-presidente. Para a função, foram apresentadas duas candidaturas, ambas do PL: a de Maurício Eskudlark e a de Marcius Machado.

O líder do PL na Alesc, deputado Ivan Naatz, afirmou que a candidatura de Marcius era um pedido da maioria dos membros da bancada. “Como ocorre em todos os partidos, as disputas internas também são salutares para o crescimento do partido”, argumentou Naatz.

Eskudlark foi eleito com 31 votos. Marcius Machado recebeu sete votos: Bruno Souza (Novo), Ivan Naatz, Jessé Lopes (PSL), João Amin (PP), Marcius Machado, Nilso Berlanda e Sargento Lima (PL). Fabiano da Luz e Luciane Carminatti, ambos do PT, estavam ausentes.

O novo vice-presidente também fez agradecimentos aos deputados pela votação e à família, principalmente à mãe, que acompanha sempre acompanha as sessões da Alesc. “Quero deixar minha gratidão a todos os colegas que construíram um projeto para atender bem o catarinense. Vamos continuar com esse projeto.”

Autoridades

A abertura dos trabalhos legislativos em 2022 e a eleição de Sopelsa e Eskudlark foram acompanhadas por várias autoridades, entre eles os desembargadores João Henrique Blasi, que assumirá a Presidência do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), e Ricardo Roesler, que deixa a chefia do Judiciário estadual; do procurador-geral de Justiça, Fernando Comin; o chefe da Casa Civil do Estado, Eron Giordani; o presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), conselheiro Adircélio de Moraes Ferreira Junior; o secretário de Estado da Educação, deputado licenciado Luiz Fernando Vampiro; o deputado federal Celso Maldaner, presidente do MDB-SC, o comandante-geral da Polícia Militar de Santa Catarina; coronel Marcelo Pontes; os ex-governadores Eduardo Pinho Moreira e Paulo Afonso Vieira, entre outras autoridades.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: Alesc