Carolina Carradore
Tubarão

Morgana Lopes Santiago tem 22 anos. Seu maior sonho é poder trabalhar e conquistar seu lugar ao sol. Ela é portadora de lúpus sistêmica, uma doença autoimune grave e sem cura. Para ter uma qualidade de vida melhor, Morgana precisa de uma nova moradia. Sem condições financeiras, a jovem é obrigada a conviver com os três irmãos em uma casa de duas peças, próximo ao cemitério municipal, na região central de Tubarão.

No ano passado, Morgana perdeu a mãe, vítima de tuberculose. A vida tem sido difícil para a jovem, que agora conta com a ajuda da enfermeira Kátia De Bona Porton, coordenadora do Ambulatório Médico de Especialidades (AME), do curso de medicina da Unisul.

“Ela é nossa paciente desde 2004 e nos comovemos com sua história. Nosso desejo maior é angariar recursos para lhe dar uma casa nova”, pede a enfermeira. A tubaronense descobriu que era portadora de lupus aos 12 anos. Desde então, as visitas aos hospitais são constantes.

Mas as condições precárias da casa em que reside a impede de realizar um tratamento melhor. O chão é aderido ao solo, o que torna o ambiente úmido. O inverno é seu maior inimigo e as frestras na casa de madeira aumenta ainda mais a sensação de frio. O péssimo estado de conservação do imóvel deixa Morgana ainda mais vulnerável à doenças. Por conta da lúpus, as dores nas articulações são imensas. Morgana ainda sofre com queda de cabelo e fotofobia. “Ela precisa de protetor solar o tempo todo, mas nem sempre consegue devido a falta de dinheiro”, lamenta a enfermeira.

Contato
Quem estiver interessado e puder ajudar Morgana, pode entrar em contato por meio dos telefones 9921-8732 ou 3632 5471.

Uma vida melhor

A tubaronense Morgana Lopes Santiago perdeu a visão do olho direito e a metade do olho esquerdo. Mas todas as complicações não a impede de sonhar e de lutar por dignidade. “Estou para concluir o ensino fundamental e faço curso de beleza e estética. Quero melhorar e trabalhar”, deseja. Sem renda, ela conta ajuda de vizinhos e amigos. Mas o que ela quer mesmo é ver sua casa reformada.

“Já temos pessoas que se manifestaram em ajudar com tijolos e outros materiais. O que de fato precisamos é um orçamento de uma madeireira e um mutirão para pagar a casa nova. Não há mais condições de deixá-la aqui”, pede a enfermeira Kátia De Bona Porton, coordenadora do Ambulatório Médico de Especialidades (AME), do curso de medicina da Unisul, onde Morgana recebe tratamento.

O que é lúpus?

O Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES) é uma doença autoimune do tecido conjuntivo que pode afetar qualquer parte do corpo. Assim como ocorre em outras doenças do mesmo tipo, o sistema imune ataca as próprias células e tecidos, o que resulta na inflamação e no dano tecidual. O lúpus lesa, mais frequentemente, o coração, as articulações, a pele, os pulmões, os vasos sanguíneos, o fígado, os rins e o sistema nervoso. A evolução é imprevisível. A doença é nove vezes mais frequentemente em mulheres do que em homens, especialmente entre 15 e 50 anos. A lúpus não tem cura.