#Pracegover Foto: na imagem há uma mulher com jaleco branco, ela está sorrindo. Há ainda, uma mesa, cadeira e livros
#Pracegover Foto: na imagem há uma mulher com jaleco branco, ela está sorrindo. Há ainda, uma mesa, cadeira e livros

A pandemia do coronavírus fez mais que mudar hábitos sociais e de higiene, mudou a rotina de muitas pessoas, entre idosos, adultos e crianças. Com as alterações nas atividades, a qualidade e tempo de sono também foram afetados. Para conscientizar sobre a importância do sono para a saúde e a qualidade vida, a Semana do Sono, realizada de 15 a 21 de março, deste ano, traz como tema, “Sono regular, futuro saudável”.

“Com a ameaça de contrair o Sars-CoV-2, muitas pessoas passaram a ter mais preocupações. Algumas consequências dessa apreensão se refletem diariamente na hora de dormir com a ocorrência de insônias, sonhos agitados e dores de cabeça. O período forçou mudanças comportamentais que se associaram à insegurança com relação à própria saúde, ao trabalho, as finanças e até a programação de planos futuros. Além disso, o isolamento social e a diminuição das atividades físicas também contribuíram com problemas na qualidade do sono”, explica a neurologista, especialista em Medicina do Sono do Complexo Médico Provida, Dra. Aline Vieira Scarlatelli Lima Bardini (CRM:17.013 / RQE: 8843 / 14928).

Diante das dificuldades de ter um sono tranquilo, a médica destaca algumas alternativas para eliminarmos ou amenizarmos os problemas ao dormir, tais como:

– Desligar ou deixar de lado os equipamentos digitais (celulares, tablets, televisores etc) pelo menos 1 a 2 horas antes de dormir;
– Escolher momentos para ler noticiários, de preferência no período da manhã ou início da tarde;
– Fazer exercícios físicos durante o dia e evitar agitações a noite;
– Manter uma rotina para dormir, não pular horas para modificar o seu relógio biológico;
– As sonecas diurnas, se forem feitas, devem ser de no máximo 30 minutos e pelo menos 8 horas antes do horário desejado para dormir;
– Procurar tomar sol pela manhã e ficar um pouco ao ar livre;
– Afastar os pensamentos preocupantes e tentar pensar em algo tranquilo antes de dormir;
– Conversar, mesmo que por videochamadas, durante o dia, com pessoas que ama para aliviar as tensões;
– Consultar um especialista caso as dificuldades permaneçam para dormir.