Brasília (DF)

O fim da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) não impediu que a arrecadação da Receita Federal em fevereiro fosse recorde. Além disso, foi maior do que a do mesmo período no ano passado.

Segundo a Receita, a arrecadação em fevereiro somou R$ 48,1 bilhões, 10,23% a mais que o registrado em fevereiro de 2007, descontada a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Ampliada (IPCA). É o primeiro mês que não conta sequer com arrecadação residual da CPMF, como ocorreu em janeiro.

O aumento é decorrente do aquecimento da vendas no mercado interno. O Imposto sobre a Produção Industrial (IPI) dos automóveis teve um crescimento de 21,60%.

O aumento das importações também interferiu no resultado do mês. A arrecadação do Imposto sobre Importações (II) subiu 39,96%, descontado o (IPCA) .
De acordo com o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, a alteração das alíquotas do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) também contribuiu para o resultado de fevereiro.