O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou em live neste sábado (4/1) que não interfere no caso do filho, o senador Flávio Bolsonaro (sem partido), investigado pela prática de rachadinha na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro e acusado de lavagem de dinheiro. Para justificar, o chefe do Executivo disse que, caso tivesse esse poder, teria “anulado” ou “cancelado” a investigação.

No momento da fala, o chefe do Executivo afirmou se tratar de “uma armação que vem lá do governo do Rio”. “Alguns acham que estou articulando, armando. Se eu pudesse “armar” como esses caras pensam , teria armado lá atrás. Durante as eleições: “Ah, o caso do Flávio  não foi para frente porque o Bolsonaro conseguiu trancar o processo”.  Se eu pudesse trancar, teria anulado, cancelado. Isso é uma armação que vem lá do governo do Rio de Janeiro. É basicamente isso”, retrucou.

O presidente disse ainda que Flávio é utilizado como ‘instrumento’ por parte do governo do Rio para atingi-lo no que chamou de “jogo sujo”.