Santa Catarina tem a segunda indústria mais competitiva do Brasil, atrás apenas de São Paulo, mostra o Atlas da Competitividade da Indústria Catarinense. A publicação inédita do Observatório Fiesc foi lançada no Fórum Reinventa-SC, que a Federação das Indústrias de SC promoveu nesta quarta-feira, 25, Dia da Indústria e data que marca o 72° aniversário da entidade.

O presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar, reforça que o estado é empreendedor, com uma indústria diversificada que pode ser uma alternativa de produção para substituir parte dos insumos que vêm da Ásia, por exemplo. “A pandemia abriu os olhos do mundo e mostrou que a dependência é prejudicial e perigosa para a soberania dos países. Em Santa Catarina temos infraestrutura portuária e uma cultura de internacionalização. Então podemos fomentar a nossa indústria local e também produzir insumos para outros países”, declarou.

Na opinião do presidente da Whirlpool Latin America, João Carlos Brega, a crise vai fazer com que toda a cadeia de fornecimento seja revista. “Não vão desaparecer as importações do Oriente, mas, com certeza, haverá um balanceamento entre a distribuição dos fornecedores. Falo de causa própria, da Whirlpool, mas também de outras empresas que estão revendo a localização geográfica dos seus fornecedores, tentando buscar um equilíbrio”, explicou.

Na visão dele, esse cenário abre espaço para novos investimentos em capacidade de produção, e o Brasil e Santa Catarina têm grandes oportunidades para receber investimentos. “Nessa nova fase podemos apresentar o estado para os potenciais investidores e nos colocarmos em posição ainda mais relevante no país”, afirmou.

Na mesma linha, o diretor-executivo de agro e sustentabilidade da Seara Alimentos (JBS Foods), José Antonio Ribas Junior, salientou que o Brasil deve ocupar um espaço de protagonismo no mundo. “Temos todos os requisitos para atender à demanda de alimentos mundial, com uma indústria muito competente”, declarou.

Transplante

Após a morte encefálica de um homem em Florianópolis, poucas horas depois o coração dele já estava batendo no peito de outro paciente, que aguardava a quase 200 quilômetros de distância, no interior do estado. O trabalho foi coordenado pela SC Transplantes, órgão do Governo do Estado que completa 23 anos de criação em 2022. O transplante de coração é mais raro em comparação com outros órgãos, como rins e córnea. Em 2022, esta foi apenas a terceira operação do tipo. Em 2021 e 2020, foram somente quatro transplantes em cada um dos anos.

HRO

O governador Carlos Moisés e o secretário de Estado da Saúde, Aldo Baptista Neto, se reuniram com a bancada do Oeste para ouvir os deputados e falar sobre as ações do Governo em relação à reestruturação financeira do Hospital Regional do Oeste (HRO), em Chapecó. Uma série de movimentos do Estado nos últimos dias intensificou os diálogos com os diferentes setores da região para avaliar o futuro da unidade. Nesta semana, o aporte emergencial anunciado pelo governador, de R$ 14 milhões garantiu que o serviço não vai parar.

Sopelsa

A importância estratégica da produção de alimentos para o posicionamento do Brasil no cenário global, e a inserção do agronegócio catarinense neste contexto tem a ver com a condição sanitária obtida a partir da certificação do estado como área livre de febre aftosa sem a vacinação de rebanhos, conquistada há 15 anos. Esse diferencial justificou a homenagem prestada ao presidente da Alesc, deputado Moacir Sopelsa (MDB), pelo Sindicato da Indústria da Carne e Derivados (Sindicarne), durante a sessão especial realizada na Alesc.

Ucrânia

O chefe da representação diplomática da Ucrânia no Brasil, Anatoliy Tkach, esteve nesta quinta-feira, 26, na Alesc para solicitar ajuda humanitária de Santa Catarina ao país europeu. Ele foi recebido pelo 1º secretário da Casa, deputado Ricardo Alba (União). Conforme Tkach, a população ucraniana tem sido muito impactada pela guerra promovida pela Rússia, com cerca de 17 milhões, dos seus 44 milhões de habitantes, necessitando neste momento de itens básicos para se manter, como alimentos e medicamentos.

Pronampe

O senador Jorginho Mello mostra que tem cada vez mais prestígio junto ao Palácio do Planalto. Nesta quarta-feira, o presidente Bolsonaro sancionou a nova edição do Pronampe, de autoria de Mello, e que representa mais R$ 54 bilhões em crédito para micros e pequenos empreendedores. “Eu agradeço demais o seu trabalho” disse Bolsonaro ao senador Jorginho Mello, que desponta como o pré-candidato do Bolsonaro ao governo de SC.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: Pelo Estado