Na terça-feira (20), após ser velada por 8h, uma idosa foi levada de volta ao hospital, em Bagé, no Rio Grande do Sul, quando a família percebeu que a mulher estava “corada” e com o corpo quente. Um médico foi chamado e ele acionou o Samu que levou o corpo da idosa para um hospital. 

A Polícia Civil vai investigar o caso. Segundo o delegado Luis Eduardo Benites, um inquérito foi aberto a partir do registro da ocorrência, e depoimentos devem ser tomados a partir desta quarta-feira (21). “A narrativa dos familiares é grave e tem que ver se houve alguma infração de natureza criminal”, disse Benites.

Conforme a direção do cemitério José de Arimateia, o corpo chegou ao local à 0h45min da terça-feira. Às 9h30min, o médico que constatou a morte no hospital foi chamado e acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). A idosa foi levada novamente ao Hospital Santa Casa de Caridade de Bagé, onde a morte foi confirmada. 

Até então não se sabe o que realmente ocorreu, e o motivo do corpo ter permanecido quente, porém, no hospital, a morte foi confirmada. O corpo foi levado mais uma vez ao cemitério e o sepultamento foi realizado no final da tarde.

No boletim de ocorrência registrado na Delegacia de Pronto Atendimento (DPPA), consta ter sido utilizado um equipamento para medir a pressão arterial, que, segundo os parentes, apontou 12 por 7 — o que indicaria que a idosa ainda estava viva. Também conforme a família, a mulher tinha 50 batimentos cardíacos por minuto. 

A idosa estava internada havia duas semanas no hospital. Ainda de acordo com o boletim de ocorrência, ela sofreu uma parada cardíaca na madrugada de terça-feira, quando a família foi chamada e, em seguida, o óbito foi anunciado.

Agora, a polícia aguarda um laudo da necropsia para confirmar se uma idosa de 80 anos foi levada para ser velada ainda com sinais vitais.