Bertoldo Weber
Rio Fortuna

Aos poucos, candidatos e coligações começam a ‘amadurecer’ na Amurel. Faltam seis meses para as eleições deste ano, e o diálogo entre as siglas já segue os ritmos das convenções de junho. Em Rio Fortuna, os possíveis candidatos começam a ‘pipocar’. Em exemplo, é que o que poderá confirmar-se entre o PT e o PPS que firmaram uma aliança para concorrer ao pleito de outubro.

O acordo entre as duas siglas foi firmado na noite de segunda-feira, após uma reunião. Os partidos definiram ainda que terão candidatos à majoritária. Os nomes mais cotados são da atual vereadora do PPS, Rosiléia Da Rolt, a Preta, e da ex-vereadora do PT, Arlete Bloemer, hoje presidenta do Sintraf de Rio Fortuna.

Com isso, este poderá ser o primeiro na história do município que duas mulheres disputarão candidaturas a prefeita e vice. A diretoria também definiu que ambas as siglas terão nominativa para concorrerem a vagas no legislativo. A partir de agora, os dois partidos irão reunir-se periodicamente para definir metas, prioridades, ações e ainda elaborar um plano de governo.

Lideranças, tanto do PT quanto do PPS, afirmam estar abertos para adesões de outros partidos na aliança. Independente disso, se a coligação entre os dois partidos realmente for confirmada, o cenário político de Rio Fortuna muda significativamente. Com isso, é possível que em outubro três chapas disputem a majoritária no município. Além da de PPS e PT, agora juntos, Democratas, PSDB e PP deverão confirmar, mais uma vez, a coligação e lançar candidato. Já o PMDB, deverá disputar com chapa pura.