Priscila Alano
Tubarão

Uma recepção calorosa marcou a chegada do novo bispo diocesano de Tubarão, na tarde desta sexta-feira. Dom Wilson Tadeu Jönck foi recebido pelo administrador diocesano, padre Nilo Buss, na paróquia Nossa Senhora de Fátima, no bairro Humaitá. Faixas e cartazes de boas vindas decoravam a entrada da igreja. A posse oficial de Dom Wilson será neste domingo, às 15 horas, na Catedral.

Após a leitura de sua nomeação como bispo, Dom Wilson receberá das mãos do arcebispo de Florianópolis, Dom Murilo Sebastião Ramos Krieger, e de Dom Jacinto Bergmann, ex-bispo de Tubarão, o báculo, símbolo do Bom Pastor, que lhe dará a incumbência de governar a diocese. Padre Nilo comparou que a diocese sem bispo é como se fosse uma família sem a presença do pai ou da mãe. “A diocese estava vacante, faltava a presença de um líder, de uma pessoa para aconselhar”, afirma padre Nilo. Alguns padres da diocese participaram da acolhida ao novo bispo.

Dom Wilson definiu a recepção como um momento intenso. “Percebi que o povo leva uma vida de fé fervorosa. As homenagens recebidas me fortalecem para alimentar a fé”, destacou o novo bispo, que pretende nomear a sua equipe já nos próximos dias.

Ele participará também das reuniões comarcais, que já está agendada. Com relação ao processo de canonização da Beata Albertina Berkenbrock, o novo bispo estudará o processo. “Tenho no coração a vontade que ela seja declarada santa. Pelo que sei, falta a o reconhecimento de um milagre. Vamos orar para que este milagre aconteça”.

Histórico
Dom Wilson será o quinto bispo da diocese de Tubarão. Nascido em Vidal Ramos (SC), no dia 10 de julho de 1951, o novo bispo foi ordenado padre em 17 de dezembro de 1977 pela Congregação do Sagrado Coração de Jesus (SCJ). Fez os seus estudos de filosofia e teologia nos conventos do Sagrado Coração de Jesus, respectivamente, em Brusque (SC) e Taubaté (SP). Em Roma, na Pontifícia Universidade Gregoriana, fez psicologia. Nomeado bispo auxiliar do Rio de Janeiro em 11 de junho de 2003, recebeu a ordenação em 16 de agosto do mesmo ano.

O que esperam os padres

Os sacerdotes presentes na recepção desta sexta-feira esperam que Dom Wilson Tadeu Jönck desenvolva um trabalho próximo aos fiéis, consolidando a fé, os movimentos sociais e as pastorais. O pároco de Treze de Maio, Nivaldo Ceron, fala da expectativa com relação ao novo bispo.

“Acredito que ele será um homem de oração, cheio da graça de Deus, que possa conduzir a diocese pelos caminhos do Senhor”, acentua padre Nivaldo. O padre Sergio Jeremias de Souza, de Vargem do Cedro, frisou que o bispo significa o ponto de unidade, a comunhão na diocese.

Pelo histórico de pastoral, o padre Edinei Ouriques da Silva, de Oficinas, em Tubarão, acredita que Dom Wilson manterá um diálogo próximo ao clero. “A presença do bispo é fundamental, vamos aprender muito com ele”, enfatizou padre Edinei.