Andréa Raupp Alves
Tubarão

Em menos de um mês, o álcool subiu cerca de 15%. Com a adição de 25% do etanol na gasolina, o combustível também teve reajuste de cerca de R$ 0,05 por litro. Este aumento refletiu diretamente nas vendas: houve queda de 70% nos postos da região.
Com a redução de 25% para 20% do percentual de adição do álcool na gasolina, anunciada pelo governo federal, cria-se uma expectativa de aumento de preço entre os donos de postos de combustíveis. Conforme o delegado do Sindicato do Comércio Varejista de Combustível da Região, Valdo Viana Filho, com a medida, o preço da gasolina vai aumentar, mas o consumidor poderá não sentir este acréscimo no bolso.

“Como a gasolina é mais cara que o álcool, o preço final do combustível será superior ao custo atual. Acreditamos que fique de dois a três centavos mais caro”, explica Valdo. Desta forma, o reajuste do valor final do produto poderá não ser repassado ao bolso do consumidor, ficando dentro da recomposição das margens dos postos.

Para os carros flex, a gasolina passa ser uma alternativa mais em conta ao bolso dos consumidores. “Com um litro de gasolina, é possível ir mais longe do que a mesma quantia de álcool. Desta forma, o etanol fica, comparativamente, mais caro”, explica Valdo.

Valores em Tubarão
Atualmente, o preço da gasolina varia de R$ 2,15 a R$ 2,25 em Tubarão. O álcool é encontrado entre R$ 2,13 e R$ 2,15.

Medida do governo

Segundo a medida do governo federal, a partir do dia 1º do próximo mês, o percentual obrigatório de mistura de álcool na gasolina passará de 25% para 20% e valerá por três meses. A decisão, anunciada segunda-feira, visa incentivar os usineiros a aumentarem o abastecimento de álcool, que diminuiu muito nos últimos dias. “Os produtores de cana-de-açúcar preferem exportar açúcar a fornecer etanol. Desta forma, o preço do álcool subiu”, explica o delegado do Sindicato do Comércio Varejista de Combustível da Região, Valdo Viana Filho.