Amanda Menger
Tubarão

A Escola Municipal Júlio Boppré, no bairro Madre, em Tubarão, fechou as portas após quase 70 anos de trabalho. Neste ano, os sete alunos matriculados para cursar as primeiras séries do ensino fundamental foram transferidos para outras unidades escolares próximas, como a Cristina Ávila Wendhausen (do município) e a Bertilo Zimmer (estadual).

“O número de alunos vem diminuindo desde 2006. Em 2007, fizemos reuniões com os pais e no ano passado também. Em dezembro, a responsável pela escola fez uma pesquisa para saber se haveria mais crianças para serem matriculadas do pré-escolar até a 4ª série, mas o número era esse mesmo”, explica o secretário de educação da prefeitura, José Santos Nunes.

Segundo o secretário, o custo para manter sete crianças em séries diferentes seria muito alto. “Tem o custo com funcionários, com a estrutura e merenda escolar para apenas sete crianças. É mais vantagem transferi-las, porque há duas escolas próximas, e oferecemos o transporte escolar”, afirma Zé Santos.
O secretário garante que, se houver mais alunos, a escola será reaberta. “Enquanto isso, o local ficará disponível para abrigar atividades sociais, como o clube de mães”, relata.

Para Zé, muitos pais preferiram matricular os filhos em outras escolas que oferecem o ensino fundamental completo. “Nas famílias com mais de um filho, o mais velho acompanha o mais novo na ida e volta da aula. Há outro fator também: os pais não precisam preocupar-se com a transferência de escola quando os alunos passam para a 5ª série. Esses são fatores que fizeram diminuir o número de crianças matriculadas na Júlio Boppré a cada ano”, observa o secretário.