Liliane Dias
Braço do Norte*

Após quatro anos de contribuição e serviços prestados à comunidade através da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Braço do norte, a presidenta Celina Pickler Oenning deixará o cargo. No dia 5 de junho, Valdete Volpato Aguiar, a Val, assumirá a vaga. “Tive uma experiência muito boa. Era voluntária, mas atuava pouco. Na presidência, tive oportunidades únicas e aprendi muito”, avalia Celina.

Ela acrescenta que sempre valorizou o trabalho e as voluntárias. “Elas me apoiaram muito e sempre trabalhamos em conjunto. Espero que este mesmo voto de confiança e carinho seja dado à nova diretoria”, “reivindica” Celina. Ela aproveita para fazer um outro pedido, desta vez direcionado às autoridades do município.

“Muitos não levam em consideração a importância da rede. É preciso mais atenção e parceria, tanto das prefeituras como das entidades civis organizadas”, desabafa a presidenta.Atualmente, a rede funciona nas instalações do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Braço do Norte. Mas o sonho é adquirir um “cantinho” próprio. Porém, para isso, são necessários recursos, os quais a entidade não dispõe.

“Contamos com o apoio da Cerbranorte, Afim, das voluntárias e do próprio sindicato para manter a rede. O pouco dinheiro que conseguimos é de rifas, jantares e outros eventos que promovemos. Mas é muito pouco. Paga somente a manutenção da entidade”, confessa Celina.

Além de palestras de esclarecimento e prevenção, a entidade presta cerca de 20 atendimentos por semana. Entre eles, os exames preventivos de câncer de colo de útero e mama. “Quando é preciso, encaminhamos para a secretaria da saúde ou para um médico que tenha parceria com a rede”. Hoje, dois médicos são pagos pela instituição, que possui ainda dois funcionários da prefeitura e um da Cerbranorte, além das 30 voluntárias.

* Especial para o Notisul.