Categoria somente retornará ao trabalho após o julgamento do dissídio coletivo. Isto será feito na próxima segunda-feira pelo Tribunal Superior Eleitoral, em Brasília.
Categoria somente retornará ao trabalho após o julgamento do dissídio coletivo. Isto será feito na próxima segunda-feira pelo Tribunal Superior Eleitoral, em Brasília.

Zahyra Mattar
Tubarão

Até as 18 horas de ontem, pelo menos 20 dos 35 sindicatos dos Trabalhadores na Empresa de Correios e Telégrafos e Similares (Sintect) haviam rejeitado a proposta formulada na terça-feira, na reunião de conciliação entre a categoria e a empresa, promovida pelo Tribunal Superior do trabalho, em Brasília.
Com isso, a paralisação seguirá até que o dissídio coletivo seja julgado, o que deve ocorrer somente na próxima segunda-feira. A greve da categoria entra hoje no 23º dia. A quantidade de objetos represados nos centros de distribuição do país não é mais mensurada pelos Correios.

Na região, trabalhadores de Tubarão e Laguna aderiram ao movimento. Na Cidade Azul, dos 50 funcionários, 20 aderiram. Na Cidade de Anita, sete dos 23 funcionários engrossam a paralisação nacional. A estimativa do representante sul do Sintect em Santa Catarina, Márcio Martins, é que haja cerca de 200 mil correspondência não entregues na região.
“São entregues apenas os sedex. E esta realidade, ainda que a empresa negue, arrasta-se há mais de uma semana. Para colocar tudo em dia, levará, pelo menos dez dias. E isto sendo otimista”, projeta Márcio.
A proposta acordada terça-feira e rejeitada previa aumento real de R$ 80,00 a partir deste mês e reajuste linear de salários e benefícios de 6,87%.

Bancos ainda não formularam nova contraproposta

Ao que tudo indica a greve dos bancários vai levar muito mais tempo do que o previsto para terminar. Isto porque as instituições bancárias ainda não reabriram o canal de negociação com a categoria. Como não há proposta, a paralisação segue.
O número de agências fechadas na base do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Tubarão e Região (SEEBTR) continua o mesmo: 39 dos 47 estabelecimentos. Hoje, uma nova assembleia ocorre nos sindicatos de todo o país. Em Tubarão, o encontro será na sede da entidade, às 17 horas.

Na última proposta, no dia 23 do mês passado, a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) apresentou um índice de reajuste de 8%. O percentual é 0,6% superior ao INPC (7,4%). Por outro lado, os trabalhadores pleiteiam a participação nos lucros e resultados e reajuste de 5% mais o índice do INPC (com isso, chega a um total de 12,8%).