#Pracegover Foto: na imagem há o mar, areia e árvores
#Pracegover Foto: na imagem há o mar, areia e árvores

A prática de nudismo na Praia do Pinho  em Balneário Camboriú, é pauta de um projeto de lei protocolado pelo vereador Anderson dos Santos (Podemos) na sexta-feira (15). A praia é frequentada por praticantes de naturismo há 40 anos, desde o início da década de 1980, e até já foi palco de campeonato de surfe.

Na justificativa, o parlamentar diz que a praia se transformou em um espaço de “promiscuidade exacerbada” ao se tornar cenário para uso de drogas. A proposta mexe no Plano Diretor. “Esta praia não está mais atraindo o público específico de outrora que movimentava um turismo considerável à cidade e à região, cabendo, portanto, que se altere sua atual configuração”, diz o texto.

O naturismo tem regras e código de ética para impedir comportamentos inadequados. Apesar de ter funcionado ao longo de décadas, novos frequentadores não estariam respeitando as normas, relatou um naturista, que preferiu não se identificar.

“Afastou o turista, que criou outros redutos no Litoral de São Paulo, Espírito Santo, Bahia. É uma grande perda porque é uma praia que ficou conhecida mundialmente”, diz.

Segundo o vereador, a discussão do projeto prevê audiências públicas para ouvir a comunidade sobre a mudança. O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) recomendou que a Câmara não faça alterações pontuais na lei até que um novo Plano Diretor seja discutido.

A 1ª naturista do Brasil

A Praia do Pinho é considerada a primeira de naturismo brasileira. A prática começou no início da década de 1980. O local tem cerca de 500 metros de extensão, possui mar com ondas fortes e é cercado por costões e vegetação.

Fundada por naturistas, a Associação Amigos da Praia do Pinho foi quem implantou um código de ética para fiscalizar as atitudes dos frequentadores.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: G1SC