Chegada da nova linha aérea reúne lideranças políticas e empresariais no Aeroporto Regional   - Foto:Fotos:Lysiê Santos/Notisul
Chegada da nova linha aérea reúne lideranças políticas e empresariais no Aeroporto Regional - Foto:Fotos:Lysiê Santos/Notisul

Lysiê Santos
Jaguaruna

Cerca de 13h50min pairava sob Jaguaruna a aeronave Embraer 195 da Azul Linhas Aéreas, com capacidade para 118 passageiros, que pousou no Aeroporto Regional Sul Humberto Ghizzo Bortoluzzi. Um forte jato de água batizou a aeronave dando boas-vindas à nova empresa que oficializou sua primeira operação na região sul. O governador Raimundo Colombo, entre várias autoridades políticas, empresários e a população acompanharam a chegada do avião. 

O aeroporto agora conta com três voos para São Paulo. Além do oferecido atualmente pela Latam às 13h30min, a empresa Azul também passará a operar com duas opções diárias para Campinas. 

O governador Raimundo Colombo, que cumpriu agenda no sul do estado ontem, afirmou que o aeroporto cumpre um papel estratégico e fortalece o sul. “O aeroporto se consolida como um grande vetor de desenvolvimento. Todas as pessoas que vêm para a região em busca de negócios ou a passeio passam a ter mais alternativas. É uma alegria receber mais essa opção de voo”, disse o governador. 

O assessor da presidência para assuntos institucionais da Azul, Ronaldo da Silva Veras, informou que a empresa está aumentando a participação no estado. “Hoje, atendemos seis municípios em Santa Catarina. E essa operação em Jaguaruna vai proporcionar que se atenda não só o município, mas a região toda”, afirmou. 

A chegada da nova linha aérea ampliou a carga horária de funcionamento do aeroporto, o número de funcionários e atraiu novas empresas ao espaço. De acordo com o prefeito de Jaguaruna, Luiz Napoli, o município e toda a região estão sendo impulsionados pelo crescimento do empreendimento local. “O aeroporto deu um grande passo. Ano passado inauguramos o primeiro voo da Latam, que foi a pioneira no local. Em pouco tempo recebeu grandes investimentos, e a chegada da Azul, que atuava em Forquilhinha, para Jaguaruna é mais um avanço”, relatou. 

Com a implantação de novos voos, linhas de ônibus e táxi já foram solicitadas movimentando a economia regional. “A Azul solicitou a implantação de novas linhas de ônibus. Já conversamos com os empresários para agilizar os procedimentos”, reforçou o prefeito. 

Horários 
O voo 5731 comercial da empresa Azul sairá do Aeroporto de Jaguaruna de domingo a sexta-feira, às 6h20min, com chegada em Campinas às 7h50min. O voo 5730 sairá de Campinas de domingo a sexta-feira, às 21h30min, com chegada em Jaguaruna às 23 horas.
Outra opção será o voo 5188, que sairá de Campinas de segunda a sexta-feira às 12h15min, com chegada em Jaguaruna às 13h15min. O voo 5189 sairá de Jaguaruna de segunda a sexta-feira, às 14h15min, com chegada às 15h45min em Campinas. 

Desafio: governador estuda ampliação e construção do terminal de cargas


A região pode ganhar mais um modal de transporte que ajudará no desenvolvimento. O terminal de cargas, suprimido do projeto original do aeroporto devido ao alto orçamento, ainda é pauta de discussão entre empresários e lideranças políticas. O governador afirmou que foi iniciado um estudo para avaliar a possibilidade de transporte de carga através do Aeroporto Regional Humberto Ghizzo Bortoluzzi, em Jaguaruna. “Santa Catarina movimenta cerca de R$ 5 bilhões/ano de importação via aérea e a implantação do terminal de cargas na região sul é muito importante para a economia estadual. O estudo já está em fase de conclusão, para elaborar o orçamento da ampliação e alargamento da pista e a construção do terminal”, garantiu o governador. Ele complementou que ainda não há previsão de datas, nem orçamentos elaborados. O presidente da Associação Empresarial de Jaguaruna, Sangão e Treze de Maio (Acirj), Anélcio Bonin Dal Toé, enfatizou que a vinda do terminal trará grande desenvolvimento à região e está sendo cobrada pelos empresários. “A associação enviou uma moção ao governador cobrando o terminal de cargas, que será um complemento ao aeroporto e a realização de um sonho antigo dos empresários. Recebemos um retorno positivo do estado e continuamos acompanhando o caso para que saia em breve do papel”, detalhou. 
Com a implantação do terminal de cargas, o aeroporto de Jaguaruna se tornaria uma opção para o transporte de cargas entre Florianópolis e Porto Alegre, suprindo uma necessidade básica de toda região. Outra vantagem seria a proximidade com a via férrea. Somando-se com a construção de Terminal Intermodal, em Içara, facilitaria a escoação da produção do sul do estado.

A estrutura do aeroporto


 O Aeroporto de Jaguaruna foi homologado para operação visual diurna e noturna. O local está autorizado para pouso e decolagem de aeronaves com capacidade de até 190 passageiros, com voos comerciais regulares.
 A estrutura possui pista com 2,5 mil metros de comprimento por 30 metros de largura. Conta ainda com balizamento noturno, farol de aeródromo, biruta iluminada, estação de rádio e sistema de placas de sinalização vertical luminosa, que servem para auxiliar a navegação aérea e a aproximação.
Para os usuários, foi destinada uma área de 1,9 mil metros quadrados no terminal de passageiros. Ainda possui espaço para estacionamento de veículos. A área total do local é de 311 hectares, o que equivale a 377 campos de futebol. O acesso ao aeroporto tem extensão de 4,83 quilômetros asfaltados, ligado à BR-101.
Conforme a empresa RDL, que administra o local, em 2015, o aeroporto de Jaguaruna recebeu 31.393 passageiros. Neste ano, até outubro, foram registrados 51.114 passageiros (em 2016 houve apenas um cancelamento de voo). 

Passageiros de São Paulo desembarcam em solo jaguarunense
A disponibilização de voos com linhas de Jaguaruna a São Paulo ampliou as opções dos turistas e empresários, tanto locais quanto de outros estados. A carioca Marlete Letiere Dezan aproveitou o voo para visitar seus parentes em Criciúma. “Moro no Rio de Janeiro e gosto de viajar pela Azul. Agora teremos mais uma opção para visitar Santa Catarina e conhecer a região”, contou a aposentada. Já o gerente de produção Marcio José Theiss, que reside em Criciúma, aproveitou o voo inaugural da linha aérea para realizar mais uma viagem de trabalho a São Paulo. “Antes embarcava em Forquilhinha, agora tenho que vir até Jaguaruna, mas penso que essa transferência contribui para o desenvolvimento da região”, analisou. 


A carioca Marlete desembarca pela primeira vez no Aeroporto de Jaguaruna