O sábado da primeira edição de 2020 do Dia D foi marcado por uma grande diversidade de atrativos, serviços e cultura, levando enorme público aos três locais onde se concentraram as atividades, na Avenida Marechal Deodoro, Calçadão e na praça da Igreja de Oficinas onde aconteceu a Feira da Economia Criativa.

Na Marechal Deodoro a presença de carros Antigos atiçou a curiosidade de nuita gente diante de verdadeiras raridades. Não houve que não parasse para dar uma olhada. Este foi o caso de Marcos Paulo Cardoso e do filho Anderson, que ficaram até com vontade de ter um na garagem de casa. “Dá vontade de comprar um e levar para casa”, disse Marcos. Como o Lar da Menina vai sortear um “fusca”, que estava em exposição, os dois resolveram arriscar na sorte e comprar um bilhete. “Quem, sabe não ganho este lindo fusquinha”, acrescentou.

O Calçadão, onde aconteceu vários serviços, brinquedos e outras atrações, ficou lotado. Muita gente procurando serviços de saúde, de estética e massagem. Isabel Carla Machado veio de Capivari de Baixo e aproveito para usufruir de todo os serviços prestados pela Vida Cotidiana. “De graça, vou aproveitar tudo que eles estão oferecendo”, disse.

Em Oficinas, com participação de grande número de artesãos, presença de cervejaria e muita música, aconteceu a Feira de Economia Solidária. O evento foi marcado pela participação de grande público. Tanto no centro como em Oficinas, aconteceu a coleta do lixo eletrônico.

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Rafael Gomes Silvério, avaliou o primeiro Dia D como excelente e considerou que a mudança de local, numa avaliação preliminar, como positiva. O próximo Dia D acontece em 4 de abril.