A comerciária Elisângela e a filha Luana não dispensam o boné e o filtro solar nem em dias nublados.
A comerciária Elisângela e a filha Luana não dispensam o boné e o filtro solar nem em dias nublados.

Amanda Menger
Tubarão

O verão mal começou e a previsão já se confirma: dias secos e de calor. Nesta semana, os termômetros dificilmente baixaram dos 30º C. E a tendência é que continuem altas, já que, devido à influência do fenômeno El Niño, o verão catarinense tenha chuvas na média da estação e temperaturas um pouco acima das marcas históricas.

Diante de um quadro destes, nada melhor do que se proteger. Sempre que sai de casa, a comerciária Elisângela Angiolletti, de Tubarão, não esquece de um acessório importante: o boné, tanto dela quanto da filha, Luana, de 5 anos.
“Tenho este cuidado já há algum tempo e, desde que minha filha Luana nasceu, redobrei a atenção. Além disso, passo o filtro solar várias vezes ao dia e também na menina. Isso é o mínimo que podemos fazer para nos proteger”, argumenta a comerciária.

Com esta expectativa meteorológica, o verão será ótimo para quem estiver no litoral. Já no oeste, a tendência é de estiagem. “São esperados períodos longos sem chuvas, e isso pode trazer problemas de abastecimento de água no oeste e meio oeste. Já expedimos um alerta com a recomendação desde já para que as pessoas economizem água”, afirma a meteorologista Gilsania Cruz, da Epagri/Ciram.
Outro alerta importante, também para o litoral, é sobre os temporais. “Os períodos mais secos serão intercalados por chuvas que podem ser fortes e com granizo e isso pode provocar prejuízos em pontos isolados do estado”, adverte Gilsania.

O verão catarinense

• Uma das características do verão catarinense é a atuação de massas de ar tropical, que elevam as temperaturas acima da casa dos 30º C, com picos de 40º C em outras áreas.
• No verão, é normal que chova uma média de 15 dias por mês no litoral norte. Já no sul, a média é de 13 dias e, no oeste, 11.