A comunidade médica mundial observa com cuidado o vírus Nipah, que está sendo apontado pelos cientistas como um organismo com potencial pandêmico. O vírus não é novo, mas acendeu um alerta ao causar a morte de um menino de 12 anos no estado de Kerala, sul da Índia, no começo deste mês.

Antes de morrer, o jovem paciente indiano apresentou febre alta e, depois, inchaço cerebral. Autoridades do país asiático já isolaram 188 pessoas que tiveram contato físico com o menino.

O potencial pandêmico do vírus Nipah gerou um alerta da OMS, a Organização Mundial da Saúde. A infectologista Rita Medeiros, da Universidade Federal do Pará, explicou que, por enquanto, o parasita circula com mais facilidade entre morcegos frugívoros, ou seja, que se alimentam de frutas.

Um dos fatores que mais assustam a comunidade científica é a gravidade da doença causada pelo vírus Nipah. Metade das pessoas que se infectam pelo parasita desenvolvem quadros graves à saúde. A taxa de mortalidade, nesses casos, pode chegar a 75%.

Felizmente, a transmissibilidade do vírus Nipah entre as pessoas é baixa. No entanto, a infectologista Rita Medeiros explica que o parasita tem grandes chances de desenvolver mutações que o torne mais transmissível entre humanos.

Por enquanto, as pesquisas de vacinas e antivirais para o vírus Nipah ainda são escassas. A boa notícia é que o desenvolvimento desses produtos pode ser relativamente fácil, já que o organismo é da mesma família que outros vírus amplamente conhecidos pela comunidade científica.

 

Fonte: Agência Brasil

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul