Foto: Rafael Andrade/Notisul
Foto: Rafael Andrade/Notisul

Gravatal

Uma opção de vida, um ato de proteção ao meio ambiente, uma decisão de escolher a prevenção da saúde, em vez de um futuro tratamento clínico. Pedalar está cada vez mais na moda na região. Alguns escolhem a bicicleta para a prática de esporte, outros para lazer, muitos – a maioria – por necessidade de ir e vir, pois é um dos meios de transportes mais baratos que existe. Já algumas pessoas, como o empresário do ramo de produtos de alimentos naturais, Constantino Rodrigues de Freitas, morador de Gravatal, que está prestes a completar 59 anos, garante que é um estilo de viver.

Desde o último dia 15 de fevereiro, em um lindo dia aquariano, Constantino, que é empresário de renome na cidade desde 1987, emprega 30 profissionais, é engenheiro mecânico e ex-professor universitário na Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Porto Alegre e na Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul), decidiu abandonar o seu carro. "Uso a bicicleta praticamente todos os dias, principalmente para ir ao trabalho. São cerca de 20 quilômetros por dia. Moro nas Termas de Gravatal e minha empresa fica no Centro. Quando o tempo está bom, vou até Tubarão para resolver alguns assuntos, inclusive profissionais. Levo uma hora e 15 minutos, aproximadamente. Agora, organizo uma rota para Imbituba, onde também irei atender clientes. Andar de bicicleta foi uma iniciativa minha, pois, em análise do atual sistema imputado pela sociedade pode ser resumido em uma frase: O conforto é um atentado à vida", chama atenção Constantino.

O maior entrave na região é praticamente a exiguidade de ciclofaixas. Tirando Tubarão, que acaba de instalar esta área exclusiva para ciclistas em duas avenidas: Padre Geraldo Spettmann e Patrício Lima, e gradativamente nas avenidas das beira-rios, com a construção do Parque Linear; e em Gravatal em um trecho da avenida Pedro Zapelini, nas Termas, nas demais cidades não há espaços específicos. O trânsito seguro e saudável, além de ecologicamente correto, é uma tendência. Portanto, aos responsáveis pelas vias públicas, preparem-se!