Tubarão

Os leitores do Notisul devem ter fresca na memória a imagem do andarilho Jairo Oliveira Silva. Em abril de 2006, na época com 34 anos, ele andava totalmente sujo de graxa e alcoolizado pelas ruas de Tubarão.
A maioria da população tinha medo de chegar perto, apesar de Jairo nunca ter agredido ninguém. Ele não falava, apenas balbuciava sons. Quando queria comer, parava em frente a lanchonetes. Aqueles que tinham pena davam um salgado. Outros o expulsavam. Quando não conseguia nada, Jairo alimentava-se de sobras que encontrava nas lixeiras.

Ainda que com todas as adversidades e dificuldades, a secretaria de assistência social da prefeitura de Tubarão, na época também chefiada por Vera Stüpp, conseguiu ajudar o homem. A Polícia Militar de Tubarão e o Desafio Jovens são duas instituições que merecem crédito nesta luta.
Após conseguir uma autorização judicial, a SAS acionou a PM, que pegou Jairo e o encaminhou ao Desafio Jovem. Lá, ele tomou banho, comeu e dormiu. O vício do álcool o fez voltar para as ruas. A assistente social Telma de Carvalho, responsável pelo caso na época, não desistiu. Foi atrás de Jairo e conseguiu convencê-lo a se recuperar.

Ele recobrou a consciência, conseguiu explicar de onde veio. Neste sábado, completa exatamente três anos que Jairo voltou para sua família, em São Paulo. O caso dele é uma prova incontestável de que o poder público tem responsabilidade e meios para auxiliar a população de rua. Os desafios são inegáveis e imensos, mas, quando há boa vontade, é, sim, possível solucionar cada caso.