Palmeira fênix, lambari roxo, agapanto, piriquito, dracena vermelha, lírio amarelo e agave. Quem visita o Parque Ambiental em dezembro pode até não saber identificar todas estas espécies de flores, mas certamente não passa despercebido por elas, pela beleza e harmonização. Estas são as espécies de flores escolhidas para dar lugar a outras, plantadas nos canteiros centrais do Parque. A revitalização aconteceu entre agosto e meados de dezembro e contou com o apoio do grupo Manserv (mão de obra) e estúdio de arquitetura e engenharia Willemann + Psiquê.

Na revitalização foi modificado o layout dos canteiros utilizando as espécies citadas, e também utilizada grama esmeralda como moldura dos canteiros. A grama colocada desta forma serve de contenção da terra sobre o paver e ajuda na absorção de água e cobertura do solo. Os canteiros ficaram com o centro elevado evitando que o solo fique encharcado ou muito seco. 

“Para escolha das mudas pensamos em algo harmonioso e que se adaptasse às condições que o parque oferece. Sendo assim, necessitávamos de plantas mais resistentes ao sol e ao vento. Após o plantio das mudas iniciamos o processo de adubação do solo para o melhor desenvolvimento das plantas. Também contamos com irrigação diária, o que proporciona condições ideais de germinação e desenvolvimento vegetativo”, reitera a engenheira agrônoma Mylena de Medeiros, que além de responsável por projetos de meio ambiente e educação ambiental do Parque, coordenou a execução da revitalização dos canteiros