Uma bebê de apenas 19 meses ficou entre a vida e a morte após seus pais a submeterem a uma dieta vegana extrema. A menina australiana estava tão desnutrida que apesar de já ter um ano e meio de vida, ela parecia ter apenas três meses.

Foi oferecido a criança apenas uma quantidade restrita de alimentos que consistiam em aveia, batatas, torradas, arroz e poucas outras opções. Ou seja, os pais não seguiam a dieta vegana tradicional, mas sim a restringiam ainda mais, deixando a pequena quase sem opção de nutrientes. Também é importante ressaltar que crianças podem sim seguir a dieta vegana quando ela é feita corretamente, oferecendo todos os grupos alimentares necessários, o que não foi o caso da menina de 19 meses.

A triste história da criança veio à tona em março de 2018 quando a mãe da pequena precisou chamar uma ambulância. Ela chamou a ambulância após a menina sofrer uma convulsão. Quando os socorristas chegaram ao local, rapidamente constataram a desnutrição da criança.

Segundo o Australian Associated Press, no hospital os médicos constataram que a criança ainda não tinha dentes, além disso o nível de açúcar em seu sangue estava muito baixo, ela tinha pouquíssimo tônus muscular e seus lábios estavam roxos e as mãos e pés muito gelados.

Os pais perderam a guarda da filha e atualmente ela tem três anos e está sob os cuidados de uma família adotiva. Os pais adotivos relataram que o desenvolvimento da criança estava muito atrasado. “Ela não conseguia sentar, não conseguia falar nada, não conseguia se alimentar, não conseguia brincar com brinquedos, ela não conseguia rolar também”, afirmaram os pais adotivos em relato enviado maio do ano passado. Atualmente, a pequena já consegue anda e se desenvolveu bastante, mas ainda tem um longo caminho pela frente.

O julgamento dos pais se iniciou em maio do ano passado e foi concluído apenas neste mês. No julgamento foi revelado que os pais têm outros dois filhos que eles criaram sem que sofressem desnutrição ou qualquer outro problema de saúde.

A juíza Sarah Huggett, responsável pelo caso, também revelou que a mãe estava sofrendo com depressão e ficou cada vez mas fixada com a ideia de manter sua bebê em uma dieta vegana extrema. A juíza criticou o pai por não ter feito “nada para impedir sua mãe de deixar a filha nesta condição”. Ela ainda afirmou: “É a responsabilidade dos pais garantir que seus filhos tenham uma dieta balanceada que contenha nutrientes essenciais para o desenvolvimento”.

Neste mês a sentença dos pais foi dada, eles foram condenados a 300 horas de serviços comunitários cada um deles.