#Pracegover Na foto, Ubiratan e a filha Evelyn
Foto: Reprodução Redes Sociais

Após colher depoimento de Ubiratan Luis Modrock, pai da menina Evylin Vitoria Modrok, de apenas 5 anos, confessou o crime. De acordo com a Polícia Civil de Jaraguá do Sul, Ubiratan matou a filha porque a menina dizia sofrer com a separação dos pais, e não conseguia lidar com o sofrimento da filha.

Evylin passava o fim de semana com o pai na casa onde a família morava antes da separação. Os pais estavam separadas há cerca de 4 meses e tinham a guarda compartilhada da filha.

Conforme o delegado Paulo Reis Venera, da Polícia Civil de Jaraguá do Sul, em um primeiro momento Ubiratan disse que alguém entrou em sua casa e o atacou. Ele perdeu a consciência e quando acordou encontrou a filha sem vida.

Mas as provas do local onde a menina foi encontrada morta apontavam divergências no depoimento de Ubiratan, então ele acabou confessando o crime.

Na coletiva de imprensa da Polícia Civil neste sábado, o delegado contou que durante o depoimento Ubiratan deu detalhes de como cometeu o crime. Ele tirou a vida da filha usando uma camiseta dele. Estrangulou a menina durante a madrugada e depois tentou tirar a própria vida usando uma faca para cortando os pulsos e o pescoço.

Pela manhã, Ubiratan enviou uma mensagem para o vizinho dizendo que sua casa havia sido invadida e alguém tentou atacá-lo com uma faca. Disse que levou um golpe e quando acordou viu a filha morta.

“Ele relatou que inventou a história porque estava desesperado e sem coragem de assumir o crime”, informou o delegado.

Ubiratan está detido na Delegacia de Polícia de Jaraguá do Sul e ficará à disposição da Justiça Criminal. O crime que cometeu será enquadrado como homicídio triplamente qualificado por motivo torpe (emprego de asfixia e por não ter dado chance de defesa à vítima).

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul