Campinas (SP)

No final de novembro, a fotógrafa Thalita Vidal, que mora em Campinas (SP), convidou o pai, Jayro, para a apresentação do seu TCC. Pouco depois, ele respondeu em um áudio parabenizando-a por ter concluído o curso, e deixou bem claro que iria ‘de qualquer jeito’ assistir a apresentação da filha, ‘nem que fosse em cima de uma maca’. “Confesso que chorei muito quando ouvi. [Minha formatura] é um dos sonhos dele”, diz Thalita.

Um dia antes da apresentação do TCC, de madrugada, o pai de Thalita mandou uma outra mensagem para a filha, dizendo que havia piorado e que estava passando muito mal. “Ele disse que provavelmente iria para o pronto socorro. Liguei pra ele e vi que a situação estava bem grave. Nesse instante eu só pude rezar para que não fosse nada e ele voltasse pra casa o quanto antes. Mas já eram 16h e ele ainda estava no hospital”, diz a fotógrafa.

Faltando algumas horas para a exposição, Thalita chegou na faculdade com o coração apertado e entristecido por saber que não teria a presença de Jayro ali. “Levei minha câmera, testei tudo e disse a ele em ligação que logo estaria começando. Ele me desejou boa sorte e eu me senti protegida”, relata.

A apresentação de uma colega de Thalita estava prestes a acabar (ela seria a próxima) quando a porta do auditório abre e diversas vozes sussurram: “Thalita, o seu pai!”.

Sob uma cadeira de rodas, Jayro conseguiu se deslocar do hospital até a faculdade a tempo de ver a filha. “Demorou para cair a ficha, mas vi que tudo era real quando senti o abraço gostoso e apertado dele”, relembra a jovem.

“Mesmo depois de tudo que o meu pai passou, ele cumpriu com o que prometeu. […] Ele estava morrendo de dor, passou a madrugada e o dia no hospital, mas mesmo assim fez questão de me prestigiar nesse momento tão importante da minha vida“, exalta Thalita.

“O amor supera. O amor cura. O amor quebra barreiras. Jamais me esquecerei disso, Jayro Vidal. Eu te amo com todas as forças do universo!”, concluiu a filha.