Representantes da instituição Professora Naíde Guedert Teixeira, de Gravatal, receberam o prêmio ‘Escola Ecológica’ ontem, em uma solenidade em Florianópolis
Representantes da instituição Professora Naíde Guedert Teixeira, de Gravatal, receberam o prêmio ‘Escola Ecológica’ ontem, em uma solenidade em Florianópolis

 

Treze de Maio
 
Muitas vezes, uma ação começa tão tímida, restrita a um grupo, como uma escola, por exemplo, que o resultado parece não fazer a diferença. Aí está o engano. Qualquer ação, quando bem feita, cedo ou tarde, é reconhecida.
 
A comunidade escolar da instituição municipal Professora Naíde Guedert Teixeira, de Gravatal, que o diga. As ações voltadas à conscientização e educação ambiental desenvolvidas lá não só fizeram a diferença como foram formalmente reconhecidas.
 
A instituição recebeu ontem à tarde, em Florianópolis, o prêmio Escola Ecologia Márcia Mortari. Foi a única da Amurel entre as dez finalistas do estado. A diretora da escola, Dorly Spíndola Zanelato, voltou para Gravatal com R$ 1 mil em materiais didáticos e equipamentos.
 
“Este prêmio é o reconhecimento do belo trabalho que nossos professores e alunos desenvolveram ao longo deste ano”, valoriza a diretora. Ao todo, 88 estudantes do 1º ao 5º ano, além de pais, professores e direção, envolveram-se no projeto, batizado de “Minha Casa Minha Vida”.
 
A Epagri local também ajudou. Foram os técnicos que nortearam as ações e inscreveram a escola para participar do prêmio. Entre as atividades desenvolvidas, estão visita às famílias dos alunos, palestras e até uma gincana ecológica, onde foram recolhidos dois mil quilos de lixos recicláveis.