Zahyra Mattar
Tubarão

As duas etapas referentes à construção do novo prédio do Presídio Regional de Tubarão serão feitas simultaneamente. Os editais de licitação para escolher as duas empresas que farão cada uma das fases da obra foram lançados nesta sexta-feira pela manhã, na secretaria de desenvolvimento regional em Tubarão.
Ao todo, o presídio custará aproximadamente R$ 8 milhões. Anteriormente, não se tinha o orçamento porque a planta de engenharia civil não estava pronta. Deste valor, cerca de R$ 6,8 milhões referem-se a estas duas últimas etapas: as de engenharia civil convencional, cujo prazo de conclusão de 360 dias a partir do início, e as de monoblocos de concreto de alta resistência (prazo de 210 dias para finalizar). As duas etapas serão feitas de forma simultânea.

A expectativa do secretário estadual de segurança pública, Ronaldo Benedet, é inaugurar a nova instalação no primeiro semestre do próximo ano. Os envelopes de cada licitação serão abertos no dia 16 do próximo mês, quando as vencedoras para cada etapa devem ser anunciadas. “A ordem de serviço será entregue em seguida e as obras também no próximo mês. Isso se não houver problemas na licitação. Luiz Henrique faz questão de vir assinar o documento”, adianta Benedet.

No total, serão abertas 248 vagas no novo prédio. Hoje, o Presídio Regional de Tubarão tem espaço para 60 detentos (destas, oito vagas são para mulheres), mas abriga 235 presos. Já houve época de mais de 260 pessoas estarem amontoadas nas celas. Conforme o projeto, na parte inferior, ficará toda a estrutura dos presos: celas, dois quartos para visita íntima, banheiros para os familiares, salas de revista, depósito, ambulatório, sala para advogado e cozinha com pequeno refeitório para os detentos responsáveis pela comida.

A parte superior abrange toda a estrutura administrativa, alojamento, banheiros e cozinha para os agentes prisionais. Os policiais militares que fazem a segurança do local também terão um alojamento, anexo ao prédio principal.