Da esquerda para a direita: Cléber, Ronaldo, Laércio Júnior, Maria e Jordão. Vereadores acordaram pelo democrata à prefeitura de Braço do Norte.
Da esquerda para a direita: Cléber, Ronaldo, Laércio Júnior, Maria e Jordão. Vereadores acordaram pelo democrata à prefeitura de Braço do Norte.

Bertoldo Weber
Braço do Norte

Um acordo selado entre o PP, PSDB e DEM ‘elegeu’ Ronaldo Fornazza (DEM) presidente da câmara de vereadores de Braço do Norte. A eleição, na verdade, ocorrerá somente nesta quinta-feira, quando os eleitos serão empossados. Após a confirmação como chefe do legislativo, Fornazza receberá, das mãos do atual prefeito, Luiz Kuerten (PP), o Tilico, as chaves da prefeitura e conduzirá os trabalhos até a realização da nova eleição no município.

O aperto de mão entre as siglas foi dado, oficialmente, no dia 24. Todos garantem que serão fiéis ao acordo, sem possibilidade de qualquer mudança de última hora. Fornazza, que se reelegeu em outubro e foi indicado para assumir a presidência da casa pelo PP, afirma que somente aceitou o cargo após conversar com o presidente municipal do Democratas, José Nei Alberton Ascari. “Somente após ter carta branca dele (Ascari) é que decidi dizer sim”, confirma o futuro prefeito interino.

Na vice-presidência do legislativo, o escolhido foi Laércio José Michels Júnior (PSDB). Assim como Fornazza, ele só aceitou o cargo após o aval da presidência dos tucanos. O vereador eleito Jordão Walter Santana (PP), futuro secretário da câmara e um dos integrantes do acordo, elogia as habilidades de Fornazza e Laércio para assumir grandes responsabilidades. “Tanto a prefeitura quanto a câmara estarão em boas mãos. A maneira como foi conduzido todo o processo (refere-se ao acordo) é exemplar. Foi muito transparente. Queremos o bem de Braço do Norte e os objetivos estão voltados para a cidade e a população”, salienta o tucano.

Os colegas Cléber Manoel da Silva (PP) e Maria da Silva Kulkamp, eleitos à casa em outubro e igualmente compactuados em torno de Fornazza para a presidência, lembram que muitas vezes é preciso abrir mão para que as coisas boas ocorram. “Nosso pedido é que sempre estejam em primeiro lugar as pessoas”, condiciona Maria da Silva.

Acordo é bem aceito na cidade

O presidente do PP de Braço do Norte, Valério Perin, diz que o acordo saiu depois que os três vereadores da sigla abriram mão de negociações individuais e deixaram o partido conduzir os trâmites. “Todos deixaram de lado interesses pessoais em prol do bem comum. Acredito que todos honrarão o combinado, independente de pressões, se houver”, avalia.

O empresário Arley Felipe (PP), presente no momento em que o vereador reeleito Ronaldo Fornazza (DEM) foi oficializado presidente do legislativo, diz estar satisfeito em de ver a nova geração da política mostrando uma grandiosa vontade de trabalhar pelo bem da cidade. “Este grupo terá um futuro promissor. A individualidade foi deixada de lado e houve unidade e humildade”, pondera.

O pecuarista Edésio Oenning, líder progressista no Vale, reforça as palavras de Arley Felipe, e acrescenta: “Estamos no caminho certo. Ganham o município e os cidadãos. Humildade é a palavra de ordem”, discursa. Evanísio Uliano, também líder do PP em Braço do Norte, avalia a condução da aliança em torno de Fornazza um ato de sensibilidade. “O acordo firmado tem um objetivo comum: Braço do Norte. E isso por si só já vale muito. Não tenho dúvidas que todos manterão sua palavra. É uma equipe de muitas qualidade e competência”, celebra.

Suplente
Com a nomeação de Ronaldo Fornazza (DEM) à presidência da câmara e ascensão à prefeitura de Braço do norte, o suplente de vereador Roberto Kuerten Marcelino (DEM) assume uma cadeira no legislativo.
A vaga está em aberto e, quinta-feira, será oficializado o convite a Lauro Beckhauser ou Nivaldo irineu Ricken, ambos do PMDB.