Cidades italianas ligadas à trajetória de Anita Garibaldi e que fazem parte do projeto do bicentenário da heroína realizam o plantio da Rosa de Anita. A flor, produzida pelo botânico italiano Giulio Pantolo, é o símbolo internacional das comemorações que honram a biografia da guerreira catarinense.

A primeira rosa foi plantada hoje (3) na cidade de Aprília. As seguintes serão nas cidades de Riofreddo (4), Montiano (10) e Poggio Torriana (18). “Ficamos felizes com a notícia dos nossos irmãos italianos. O plantio da rosa perpetua a figura de Anita, que inspirou a criação da flor, e cada vez mais aproxima Itália e Brasil em torno do bicentenário”, enaltece o presidente do Instituto Cultural Anita Garibaldi (CulturAnita), Léo Felipe Nunes.

O CulturAnita detém no Brasil os direitos de reprodução da rosa. Ela já foi plantada em Laguna, Imbituba, Tubarão, Anita Garibaldi, Lages, Curitibanos, Garopaba e Florianópolis.

Um comitê composto pelo CulturAnita, em Santa Catarina, cidades participantes do projeto e pelo governo estadual organiza e prepara as comemorações para 2021. Na Itália, o projeto é coordenado pelo Museu e Biblioteca Renzi em associação com órgãos governamentais e culturais do país europeu.

Símbolo das comemorações
A Rosa de Anita é o híbrido-símbolo das comemorações, foi criado pelo botânico italiano Giulio Pantoli (morto em 2018), que se inspirou na figura de Anita Garibaldi para desenvolver a rosa. Na Itália, os direitos de reprodução da rosa estão com o Museu Renzi, que franqueou autorização para que o CulturAnita pudesse clonar e distribuir o híbrido no Brasil e na América do Sul.

Os brotos foram trazidos no final de 2018 para o Brasil e adaptados à realidade climática do país pelo botânico Leonardo Borges, de Laguna. Em agosto de 2019, foram iniciados os plantios das primeiras rosas geradas em Imbituba, Laguna e Tubarão. Outras cidades receberam as mudas em fevereiro deste ano.

O projeto do bicentenário
O projeto prevê a realização de eventos em todas as cidades catarinenses, gaúchas, uruguaias, italianas e de San Marino, que têm relação com a trajetória de Anita Garibaldi, a Heroína dos Dois Mundos. Até 2021, a ideia é que sejam realizados eventos comemorando a memória da personagem histórica nascida em 1821.

A iniciativa decorre de um convênio internacional celebrado entre o Museu Renzi, de Borghi (Itália), que é representado por Andrea Antonioli e Gianpaulo Grilli e o Instituto Cultural Anita Garibaldi (CulturAnita) de Laguna (Brasil), representado por Leo Felipe Nunes e Adilcio Cadorin.

Fotos: Divulgação/CulturAnita e Governo de SC

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul