Formada por músicos de Tubarão, Jamaica Groove aproveitou a ação, em Imbituba, para gravar parte de seu novo clipe. 

Tubarão

Parte da gravação de um clipe da banda Jamaica Groove, o mutirão de limpeza da Praia Sul de Itapirubá, em Imbituba, no último sábado, deu resultados que merecem ser comemorados. Muito lixo foi recolhido, sem contar os entulhos maiores, como móveis velhos, que foram encontrados pelos voluntários ao longo do caminho.

Cerca de 20 pessoas participaram da ação, que começou às 7 horas e seguiu até o fim da manhã. Elas se dividiram em dois grupos de igual número, que se dedicaram a recolher o lixo deixado na praia, encosta de morro e áreas vizinhas.

Ao todo, foram recolhidos quase 40 sacos de lixo, com capacidade para 100 litros cada, o que rendeu quatro toneladas. “Como a praia é grande, acho que é preciso fazer mais outros eventos desses. Tinha muita coisa na praia, inclusive lixo antigo, deixado há mais tempo, em decomposição”, conta Diego Nunes, um dos integrantes da banda.

Desde o seu primeiro CD, Mãe Terra, a banda Jamaica Groove tem uma preocupação com o meio ambiente. Por isso, eles pretendem seguir organizando mutirões, como o de Itapirubá no sábado passado, em outras praias da região. “Queremos manter isso. Sempre vamos trabalhar com a conscientização ambiental. Não adianta só a gente cantar e não fazer a nossa parte”, garante Diego.

O dia de sol também colaborou com o evento, o que permitiu que o grupo gravasse boas imagens para serem usadas no seu próximo clipe, para a música Salvação. As filmagens prosseguem depois do Carnaval, em Laguna e na lagoa da Jaguaruna. A gravação da música Salvação também está na etapa final.

A expectativa do grupo é de que entre o fim de março e o início de abril o clipe seja lançado na internet, em plataformas como o YouTube. Salvação é o segundo videoclipe da Jamaica Groove e chega à sequência de Ajude a Terra, gravado no fim do ano passado.

Banda começou em 2002 por causa de apresentações em Laguna
Na estrada desde 2002, Jamaica Groove começou quase por acaso, de apresentações que Diego e Gustavo Medeiros faziam no Farol de Santa Marta, em Laguna. O resultado deu certo, novos músicos foram chegando e outras ideias começaram a surgir. Do que era uma brincadeira despretensiosa, formada para fazer um som acústico, nasceram os planos de compor e ter uma banda completa.

Foi assim que, no início, nas noites de quinta-feira, por exemplo, eles lotavam o entorno do antigo Paulistano Bar, ao lado da Unisul. “Era muito badalado pelo movimento de estudantes. As ruas eram tomadas de amigos e apreciadores da música reggae”, recorda Guilherme Santana.

Jamaica Groove, formada por músicos de Tubarão, marcou época também por causa de uma Kombi, que a acompanhou durante alguns anos. “Ela nos deu algumas despesas e acabamos vendendo. Ficaram boas lembranças e várias histórias”, resume.