Com a finalização das obras de ampliação do Porto de Imbituba, a chegada dos portêineres Super Post Panamax e o aprofundamento do calado, a fronteira do sul catarinense será capaz de receber navios de 5ª geração
Com a finalização das obras de ampliação do Porto de Imbituba, a chegada dos portêineres Super Post Panamax e o aprofundamento do calado, a fronteira do sul catarinense será capaz de receber navios de 5ª geração

Imbituba

 

Com um salto de 51% em relação à movimentação do primeiro bimestre de 2010, o Porto de Imbituba comemora a consolidação das estatísticas do período referente a janeiro e fevereiro deste, nas quais se destacam os granéis sólidos e contêineres. O aumento da movimentação de cargas foi 21% superior ao estimado.
 
A média de atracações mensais de 19 navios, alcançada em 2010, manteve-se no período e deve ser a mesma este mês. “Os 51% de aumento em relação ao primeiro bimestre de 2010 respaldam nosso modelo de gestão, cujo foco está na atração de investidores para modernização da infraestrutura portuária e desenvolvimento econômico regional”, celebra o administrador do Porto de Imbituba, Jeziel Pamato de Souza.
 
O número que mais chama a atenção é a movimentação mensal de janeiro. O primeiro mês do ano alcançou o recorde histórico de 252.673 toneladas, a maior dos últimos 22 anos. O recorde é novembro de 1988, quando 318.476 toneladas passaram pelo Porto de Imbituba.
 
Atualmente, enquanto alcança recordes históricos e consolida um novo posicionamento junto ao mercado portuário brasileiro, o porto também passa por uma fase de investimentos da iniciativa privada e do governo federal.
 
A empresa arrendatária do terminal de contêineres, a Santos Brasil, injeta aproximadamente R$ 280 milhões para ampliação do cais, reforma de armazéns e aquisição de equipamentos. Simultaneamente, é prevista para este ano a dragagem de aprofundamento para 15 metros, com recursos da União.