Um grupo de 80 motoristas do aplicativo Uber realizaram uma manifestação, nesta sexta-feira (4), em protesto pelo assassinato de Paulo Júnior da Costa, 22 anos. A carreata passou pelas principais ruas da cidade de Guaíba, na Região Metropolitana, onde Costa morava com a família. Os carros estavam todos com fitas pretas, representando o luto pelo assassinato do colega, cujo corpo foi encontrado em Laguna.

O protesto contou com a presença de familiares de Paulo Júnior da Costa. A mãe da vítima, Neiva Amador, falou aos motoristas antes de iniciar a carreata. Muito emocionada, ela disse para os profissionais preservarem a própria segurança.

Os motoristas do aplicativo reclamaram da falta de proteção no trabalho. “Nós botamos a cara a tapa todos os dias”, reclamou Jonathan Israel da Silva, de 28 anos. Entre as queixas, também estava o fato de não ser indicado o destino da viagem antes de o passageiro entrar no carro, além do fato de muitos usuários pedirem corridas para terceiros.

Os motoristas de Guaíba decidiram suspender o atendimento através do aplicativo. A paralisação não tem prazo para terminar, porém, de acordo com eles, a decisão deve ocorrer nos próximos dias. Uma nova carreata está marcada para sábado, o grupo de motoristas do aplicativo se reunirá a partir das 14h em frente ao Asilo Padre Cacique, com saída prevista para às 15h. Eles devem circular por algumas ruas de Porto Alegre e se dirigir até Guaíba onde o enterro será realizado.

Segundo familiares, o velório de Paulo está previsto para este sábado, a partir das 7h, na capela do Narciso, no centro de Guaíba. O sepultamento do corpo está marcado para às 17h no Cemitério de Guaíba.

Detalhes da investigação

Em coletiva de imprensa, a titular da 2ª Delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa (2ªDPHPP) de Porto Alegre, delegada Roberta Bertoldo, afirma que Paulo da Costa foi morto com disparo de arma de fogo. As investigações ainda tentam esclarecer em qual data o jovem teria sido executado, uma vez que os criminosos teriam obrigado o motorista a dirigir até Laguna na véspera do réveillon.

Conforme a delegada, Paulo atendeu uma chamada às 17h na rua do Povo, no Sarandi, em Porto Alegre. “Essa corrida teria terminado em Santo Antônio da Patrulha, conforme informações da empresa Uber. A partir dali foi feito desligamento do aplicativo”, revela. De acordo com a delegada, a dupla de criminosos tem extensa ficha criminal, com antecedentes por tráfico de drogas, homicídios, roubo e outros crimes.