Amanda Menger
Tubarão

As manhãs e noites estão mais friazinhas, mas a chegada do outono não significa que a comunidade deve descuidar com o mosquito da dengue. Nesta semana, um foco do Aedes aegypti foi encontrado em uma armadilha, no bairro Revoredo, próximo ao trevo de acesso norte a Tubarão. É o terceiro foco achado neste ano.

“O monitoramento dos imóveis em um raio de 300 metros do foco foi feito e não encontramos mais nada. Foram mais de 100 imóveis verificados, a maioria terrenos baldios. Vamos acompanhar o caso, porque, daqui a um mês, nós voltaremos ao local para fazer nova inspeção, e esse é um trabalho que será repetido frequentemente, até completar um ano de quando o foco foi encontrado”, explica a coordenadora do programa de combate à dengue na Amurel, Cláudia Ochs, da 20ª gerência regional de saúde.

Segundo Cláudia, a vigilância em Tubarão é constante. “São cinco agentes e um coordenador, mas a secretaria de saúde da prefeitura deverá chamar mais três agentes e um supervisor de campo. Com isso, poderemos ampliar o número de armadilhas e de pontos estratégicos”, afirma a coordenadora.

Tubarão hoje tem 293 armadilhas (vistoriadas uma vez por mês) – passará para 480 – e 98 pontos estratégicos – passará para 150 (estes pontos são vistoriados a cada 15 dias) . “Mas, para isso, é preciso de pessoas para trabalhar, porque, com a equipe atual, não tem condições. Fora as denúncias que recebemos, que precisam ser averiguadas e os casos também têm que ser acompanhados”, reforça Cláudia.