Foto: Amanda Farias/4oito
Foto: Amanda Farias/4oito

Duas vezes reitor, duas vezes vice-reitor, foi com ele à frente que a Unesc tornou-se efetivamente universidade, em 1997. Mas muito antes, Antônio Milioli Filho deixou uma profunda digital na história da instituição. Ele partiu nesta Sexta-feira Santa. Toninho Milioli, 69 anos, faleceu nesta tarde.

O velório será a partir das 22h desta sexta-feira no Auditório Ruy Hülse. Ele deixa a esposa Vanilde e a filha Daniele. O sepultamento será neste sábado às 16h no Cemitério do Bairro São Luiz.

A reitora Luciane Ceretta convocou sessão solene do Conselho Universitário para as 14h deste sábado.

A luta pela saúde

Em 22 de junho do ano passado, a Rádio Som Maior apresentou uma edição especial do Programa Adelor Lessa no dia do cinquentenário da Unesc, direto da Universidade. Na ocasião, Toninho estava presente, e concedeu uma emocionada entrevista.

Nela, contou da sua luta contra o câncer, que o vinha abatendo. “Eu não desejo para os piores inimigos”, disse, desperando os risos de quem estava por perto. “É uma doença que é silenciosa, não dói, e aparece do nada, como foi no meu caso. Quando eu verifiquei tinha um linfoma com 17cm e o único remédio era a quimioterapia. Não sofri na verdade, mas a quimioterapia enfraquece muito. Fiquei oito meses sem sair de casa, é duro”, destacou.

O sentimento, naquele momento, era de vitória na batalha pela vida. “Venci. Quer dizer, não 100%, ainda existem algumas coisinhas para resolver. Mas eu venci sim. O câncer não vai me levar dessa vez. O câncer é uma doença muito violenta que atinge um percentual muito grande da população”. Toninho fez questão de lembrar o papel que o Hospital São José desempenha para tratar quem tem câncer. “Todo o sul vem para o São José, aqui é feito um tratamento suficiente para resolver o problema”.