Morreu em Belo Horizonte, na manhã desta segunda-feira (9), o sétimo paciente com suspeita de intoxicação por cervejas da Backer.

Ronaldo Vitor dos Santos, 49 anos, estava internado no Hospital Regional do Barreiro, desde o último 21 de janeiro. Cinco dias depois, o motorista entrou em coma, seus rins pararam de funcionar e o homem foi levado para o CTI (Centro de Tratamento Intensivo).

O último levantamento da Ses (Secretaria de Estado de Saúde) apontava que 27 casos eram investigados devido à possível contaminação por dietilenoglicol – anticongelante usado no resfriamento de indústrias que foi encontrado em amostras de cervejas da fabricante mineira Backer. Outras quatro ocorrências já foram confirmadas. 

A reportagem fez contato com a cervejaria e aguarda retorno. Em fevereiro, Rosemeire Maria dos Santos, irmã do paciente, conversou com a Record TV Minas e relatou o drama da família.

Intoxicações

No início de janeiro, o Governo de Minas começou a investigar relatos de pessoas que teriam passado mal após ingerirem cervejas Belorizontinas, da Backer. Inicialmente os relatos se concentraram no bairro Buritis, na região Oeste de Belo Horizonte, mas nas semanas seguintes os registros se espalharam por outras cidades.

No decorrer das investigações, a Polícia Civil encontrou traços de mono e dietilenoglicol em garrafas da bebida e em tanques da fábrica da cervejaria, na capital mineira. As apuração completaram dois meses na última sexta-feira (6) e os investigadores trabalham para descobrir como as substâncias tóxicas foram parar nos locais identificados.

Foto: Reprodução / Record TV Minas