Moradores fizeram uma barreira com pneus para fechar a SC-439 nesta sexta-feira.
Moradores fizeram uma barreira com pneus para fechar a SC-439 nesta sexta-feira.

Grão-Pará

Cansados de esperar por uma solução quanto à precariedade da SC-439, o principal acesso ao município de Grão-Pará, as comunidades de Aiurê e Ilha Grande efetuaram, nesta sexta-feira, um protesto pacífico.

Agricultores, empresários e moradores fecharam a rodovia, entre a manhã e a tarde. Cerca de 80% da economia das duas localidades é focada na agricultura familiar. A maioria dos empreendedores rurais não consegue escoar a sua produção.

Os que atuam no setor fumageiro e de hortaliças correm o risco de perder praticamente tudo. “É um descaso muito grande. Não queríamos chegar a este ponto, mas não encontramos outro maneira de chamar a atenção das autoridades”, reclama o empresário Márcio de Bona Mendes.

Ele instalou uma empresa de telas em Aiurê há 15 dias e até agora está com toda a produção estocada. Ao longo dos 29 quilômetros que ligam o centro de Grão-Pará a Urubici, no topo da serra do Corvo Branco, há 16 pontos de queda de barreira.

Em outros, o trânsito está em meia pista porque a estrada cedeu. Caso as obras emergenciais prometidas pelo estado não iniciem até a próxima semana, eles prometem voltar a protestar.

“E desta vez fecharemos a SC-438, na serra do Rio do rastro. Merecemos tanto respeito quanto os outros cidadãos catarinense, mas nos sentimos esquecidos aqui. É preciso igualdade no tratamento”, reivindica Márcio.

Estado reafirma compromisso em efetuar as obras emergenciais
Apesar da ordem de não efetuar novas obras até abril, o Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra) confirmou nesta sexta-feira que a recuperação das rodovias estaduais, danificadas em virtude das chuvas, é prioridade neste momento.

Na região, serão feitas, em princípio a recuperação da SC-439 e a SC-438, entre Tubarão a Gravatal. Esta parte da rodovia foi licitada em novembro do ano passado e desde então é aguardada a ordem de serviço para a obra.

Situação na SC-441 também é precária
A rodovia que liga Treze de Maio à BR-101, a SC-441, está tão precária quanto as outras estadas estaduais da região. Com as chuvas, o local alaga, já que as sarjetas de drenagem estão tomadas por terra e mato.

Além de deteriorar o asfalto, há risco aos condutores, pois o veículo pode aquaplanar. Outro fator agravante é a falta de partes na grade de proteção da ponte sobre o Rio Salto.

A passagem é utilizada por um grande número de crianças para irem à escola. As proteções nas curvas também estão danificadas – inexistentes em alguns pontos.
Para não deixar o lugar intrafegável, a prefeitura de Treze de Maio efetuou uma operação tapa-buracos na rodovia. O serviço foi feito nesta semana. A SC-441 é a principal rodovia de acesso e escoamento da produção da cidade.