Moradores querem a canalização do esgoto que desemboca na Prainha do Farol.
Moradores querem a canalização do esgoto que desemboca na Prainha do Farol.

Laguna

Como prometido, os moradores do Farol de Santa Marta, em Laguna, uniram-se neste sábado em um protesto pacífico, a fim de reivindicar melhorias no saneamento da comunidade. Eles querem que o esgoto da Prainha seja canalizado e não mais desemboque na areia.

Com faixas e cartazes, o grupo caminhou pela rua principal do Farol até a Prainha, onde o manifesto terminou com a realização do primeiro Campeonato de Futebol Feminino do Farol.

O evento esportivo e reivindicativo reuniu 200 pessoas entre moradores e turistas. Os times Chega de Esgoto, Prainha Viva, Natureza, Unidas pelo Farol, Farol para Sempre, Esperança e Prainha Limpa bateram um bolão.

Atualmente, são sete focos de esgoto em uma extensão que não chega a 300 metros. O problema é antigo e piora a cada ano. Os córregos pluviais são usados para despejar o esgoto ‘in natura’ na Prainha desde o início da década de 80.

Há mais de 30 anos, a comunidade pesqueira pede a canalização e o tratamento. Além de tornar a água inadequada para o banho – da região, a Prainha é a que mais aparece no relatório da Fatma como local impróprio -, o problema também já reflete no turismo.

A atividade gera renda extra para cerca de 200 famílias da localidade. Nesta semana, a comissão Pró-Saneamento Básico, formada no ano passado pelos moradores do Farol, reúne-se para preparar outra manifestação pacífica.

A prefeitura de Laguna enviou ao Notisul, na semana passada, uma nota onde aponta que a responsabilidade da obra no Farol é da Casan, concessionária da água na Cidade de Anita. Quanto ao executivo, cabe apenas a fiscalização.