Um mistério voltou a circular pela Internet: a polêmica da cor do tênis (“verde e cinza ou rosa e branco?”). A brincadeira, que viralizou em 2017, reapareceu nesta semana no Twitter, Facebook, Instagram e em correntes do WhatsApp. A discussão é parecida com a do vestido que muda de cor, viral de 2015, que ninguém sabia ao certo se era azul e preto ou branco e dourado.

Desta vez, o desafio do tênis vem acompanhado de uma informação a mais, sobre o suposto motivo para que as pessoas vejam cores diferentes na mesma foto. De acordo com a mensagem que circula nas redes sociais, a razão seria o lado predominante do cérebro de pessoa.

“Já viram esse teste? Pessoas com dominância do lado esquerdo do cérebro enxergam tênis cinza e verde. As com dominância do lado direito enxergam rosa e branco”, diz a maioria das postagens.

Em 2017, um aplicativo disponível gratuitamente para smartphones ajudou a descobrir a verdadeira cor do tênis. O PicsArt conta com uma ferramenta de edição de imagem, que permite selecionar as cores e vê-las em uma escala. Ao fazer isso, o aplicativo aponta para a tonalidade real. Assim, o mistério foi resolvido: o tênis, na verdade, é da cor cinza e verde-água.

Explicação para a divergência

De acordo com o médico Rafael Monteiro, neurologista do Hospital Samaritano do Rio de Janeiro, a corrente é baseada em uma teoria que não tem qualquer comprovação científica. Ele explica que a situação está mais relacionada a uma ilusão de ótica do que propriamente com os hemisférios do cérebro.

Segundo o neurologista, é possível que você consiga visualizar a cor verdadeira após descobrir qual tom pertence realmente à imagem.

“A gente vê as cores quando a luz do objeto é captada pela retina que, depois, vai para o córtex visual – parte do cérebro que pega as informações que o olho enxerga e transforma em formas e cores. Ou seja, é só uma questão de percepção de cor”, afirma.