O Ministério de Infraestrutura pretende captar investimentos de R$ 30 bilhões para ampliar a malha ferroviária do país. De acordo com o ministro Tarcísio Gomes de Freitas, o dinheiro deve vir de concessões de trechos de ferrovias e rodovias brasileiras à iniciativa privada. O governo pretende reinvestir o dinheiro em ferrovias nos próximos 5 ou 6 anos.

Segundo um estudo de 2018 da Fundação Dom Cabral, as rodovias são utilizadas para escoar 75% da produção no país. As ferrovias respondem por apenas 5,4%. Os impactos causados pela greve dos caminhoneiros de 2018 deixou clara a dependência do país do transporte rodoviário e gerou um debate público sobre a necessidade de se ampliar a malha ferroviária.

Tarcísio disse que o Ministério da Infraestrutura tem conversado com todos os setores em busca de melhorias coletivas. No caso dos caminhoneiros, o ministro incluiu entre as concessões de novas rodovias a Presidente Dutra, conhecida popularmente como Via Dutra, que liga o Rio de Janeiro à São Paulo.

O primeiro contrato de concessão foi assinado no ano passado e envolve a Ferrovia Norte-Sul, no trecho entre Porto Nacional (TO) e Estrela D’Oeste (SP). Para este ano, são previstas as concessões da Ferrovia de Integração Oeste-Leste, que ligará Ilhéus (BA) a Figueirópolis (TO), e a Ferrogrão, projeto com origem em Cuiabá (MT) e término em Santarém (PA).