Amanda Menger
Tubarão

Os motoristas que trafegam pelas SC-438, entre Gravatal e Tubarão, e na SC-443, em Sangão, devem ficar ainda mais atentos. Isso porque precisarão conviver ainda por um bom tempo com as péssimas condições de tráfego das estradas. No Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra), a informação é que não há recursos para realizar as obras de manutenção.

“A secretaria de desenvolvimento regional em Tubarão fez um encaminhamento que está fora do orçamento do estado. Quando isso ocorre, é preciso uma avaliação técnica do Deinfra, uma consulta ao Conselho de Desenvolvimento Regional (CDR) para saber da prioridade da obra e ainda se há recursos junto ao tesouro do estado. Neste caso, estamos esperando uma resposta da secretaria estadual da fazenda”, explica o presidente do Deinfra, Romualdo França.

A resposta deve ser negativa. “Isso porque a arrecadação do estado caiu muito nos últimos meses devido às enchentes e à crise mundial. Então, novas obras que não estavam previstas no orçamento terão que esperar. Quem sabe daqui mais alguns meses nós poderemos anunciar estes investimentos”, afirma Romualdo.
Para recuperar a SC-438, são necessários R$ 900 mil e, para a SC-443, R$ 400 mil.

As duas obras já contam com projetos, mas até agora nada. Um trecho da SC-438, na Serra do Rio do Rastro, está em obras desde fevereiro. Inclusive, o trânsito entre os quilômetros 130 e 137 está em meia pista, no sentido Bom Jardim da Serra a Lauro Müller, devido a reparos na pavimentação asfáltica. O tráfego está interditado para ônibus e caminhões acima de quatro toneladas até o dia 23.