Bertoldo Weber
Grão-Pará

Dinâmica e envolvida com a juventude, Rosana de Oliveira Souza (PMDB), 24 anos, de Grão-Pará, recebeu 459 votos nas eleições e foi a mais votada para vereador. Ela diz que não existe segredo, apenas muito trabalho e pedido de votos. Sobre a vitória do prefeito eleito Valdir Dacorégio, ela destaca que o povo quer mudanças.
Formada em turismo, ela investe em um dos seus projetos turísticos, a Casa do Sanca, na comunidade São Camilo, e ainda ajuda seu pai na empresa da família, a Madeireira Souza.

Rosana participa ativamente na JPMDB, porém, foi a primeira participação como candidata.
“Minha expressiva votação deu-se por quatro fatores: apoio da família (Oliveira e Souza); minha militância dentro da JPMDB; o belíssimo trabalho que eu, minha família, amigos e cabos eleitorais fizemos na campanha; e o bom entrosamento e contato com a juventude de Grão-Pará”, destaca.

Ao avaliar o resultado geral das eleições, ressalta que foi uma vitória espetacular da coligação Novo Tempo (PMDB, PSDB, PT e PPS). “É a primeira participação como candidata, mas já atuei na eleição passada, apoiando Valdir Dacorégio, que na época perdeu pelo critério da idade. A coligação fez uma campanha espetacular, com plano de governo arrojado, coordenação segura, bons programas e visita de casa em casa. A população acreditou na proposta, queria um novo tempo e optou por nos apoiar. O resultado não foi surpresa, tanto à câmara quanto aos votos do Valdir e Estevão”, resume.

Na câmara de vereadores, ela espera que seja uma experiência em que aprenderá muito e estará atenta aos projetos do executivo. “Quero ser uma vereadora atuante 24 horas e não apenas nas sessões semanais. Serei parceira dos edis e quero lutar para que não existam partidos, mas um grupo de homens e mulheres engajados pelo bem de Grão-Pará”, declara.
Segundo ela, nenhum vereador pode ser eleito para representar apenas a um grupo ou setor. “Fui eleita e sempre pensarei em Grão-Pará como um todo. A cidade precisa crescer de forma igual e lutarei para que isso aconteça”, conclui.