Foto:Gilmar Estevam Fotografias/Divulgação/Notisul
Foto:Gilmar Estevam Fotografias/Divulgação/Notisul

Tubarão

Personalidades locais foram homenageadas ontem na Câmara de Vereadores de Tubarão. Em sessão solene foi lembrado o dia 20 de novembro, data intitulada à Consciência Negra! Mas o que comemorar? Ter sempre que responder a mesma pergunta feita nas universidades para os colegas, que as são necessárias para diminuir as desigualdades e fatores históricos? A cota em concursos públicos? A falta de emprego para os negros? Os mesmos papéis secundários nas telenovelas, as situações subalternas? Há mesmo o que comemorar? Enfim, um dos homenageados da noite foi o jornalista do Notisul e estudante de direito da Unisul, Jailson Vieira.

A pergunta a se fazer é onde se pode melhorar? Talvez a melhor resposta seria na educação. Ensinar as crianças desde a mais tenra infância a não ser preconceituosa, buscar investir na qualidade do ensino para todos os brancos, índios e negros. Ontem, na solenidade, 18 pessoas foram homenageadas, entre elas o professor e advogado Tadeu Jair Pereira, que disse, na tribuna, que não adianta nada ser homenageado se nada mudar. “Não basta existir a data, há de se convir que faltam muitas coisas para o negro, melhores escolas, melhorar a saúde, dar oportunidades”, avalia Tadeu.  

Em um primeiro momento, a sessão solene ocorreria no último dia 17, às 19 horas, na Câmara de Vereadores, mas foi transferida para ontem, às 18 horas, devido a um forte vendaval e falta de energia elétrica que atingiu parte da região na semana passada.

Além das homenagens, foi proferida a palestra “Religião de tronco Africano: Identidade Cultural, Preconceito, Discriminação e Perspectivas”, misnitrada pelo professor mestre Marcos Canetta Rufino. A data em si tem como objetivo uma reflexão sobre a introdução dos negros na sociedade brasileira. O dia foi escolhido como uma homenagem ao líder escravo Zumbi dos Palmares, quando morreu lutando pela liberdade do seu povo no Brasil, em 1695.

Os homenageados:
Receberam menções honrosas por atuarem de forma relevante na defesa dos negros e de questões sociais, como o jornalista do Notisul e estudante de direito da Unisul, Jailson Vieira Alves, as professoras Alaíde Corrêa (Dinha) e Aleida Cardoso, Carlos Augusto Lopes, Carmen Beatriz Marins de Souza, Elísio de Souza Madeira, Elmo Pereira, Emerson Cardoso, Lisiane Schwartz Resende, Luiz Gonzaga Cardoso, Marcelo Corrêa, Marcos Canetta Rufino, Maria de Lourdes Vieira, Marília da Silva Alano, Pedro Hermínio Maria, Tadeu Jair Pereira, Teresinha Isabel Alves, Tiago Porfírio Motta e Vanderlei Rufino Machado.