Wagner da Silva
Braço do Norte

O presidente da câmara de vereadores de Braço do Norte, Ronaldo Fornazza (DEM), assumiu posicionamento contrário à instalação da Indústria de Fosfatados Catarinense (IFC) em Anitápolis. A decisão de Fornazza partiu após a resposta negativa da Fatma em prestar esclarecimentos sobre a liberação de uma Licença Ambiental Prévia (LAP) à IFC. O presidente anunciou a sua decisão na sessão de ontem.

A resposta ao requerimento enviado em 17 de julho por ele, à Fatma, chegou as mãos de Fornazza um pouco antes da sessão. No documento, o presidente do órgão ambiental, Murilo Xavier Flores, afirma que, devido aos vários pedidos da mesma natureza, não haverá possibilidade de atender a todos.

Ainda no ofício, Murilo pontua que os devidos esclarecimentos sobre a instalação da empresa de fosfatados em Anitápolis foram expostos em audiências públicas, realizadas no município serrano e em Lages. “O interesse do governo (do estado) calou a Fatma e isso preocupa. Apenas três audiências foram realizadas e ainda por meios duvidosos, maquiadas, já que a maioria da população soube do empreendimento há pouco tempo”, defendeu Fornazza.

O presidente da casa advertiu que a população do Vale e região de Tubarão merecem a mesma importância dada aos municípios que puderam discutir o assunto. “A Fatma deveria estar do nosso lado, mas parece que quer este empreendimento a todo custo. Como somos privados de participar deste debate?”, questiona Fornazza.
Ele solicitará uma reunião entre os vereadores e os presidentes das entidades que se posicionaram – Câmara de Dirigentes Lojistas e Associação Empresarial de Braço do Norte – para discutir qual o próximo passo em relação ao empreendimento.