Amanda Menger
Laguna

Os produtores rurais da Amurel poderão finalmente conversar com o secretário estadual de agricultura, Antônio Ceron. Cerca de 90 pecuaristas realizaram um protesto no último dia 5, em Tubarão. Na oportunidade, eles pediram ao gerente regional da Cidasc, Claudemir dos Santos, que intermedie um encontro com o secretário.

A confirmação do encontro será feita hoje. O secretário estará em Tubarão amanhã, para o lançamento de um projeto ligado ao Microbacias 2, organizado pela Epagri, no Centro de Treinamento (Cetuba). “Acredito que não haverá problemas para que os produtores conversem com o secretário e esclareçam as suas dúvidas”, observa Claudemir.

Um dos pontos que mais gera dúvida é o número de identificação dos bovinos e búfalos. “Queremos saber por que estamos usando a identificação do Serviço de Rastreabilidade da Cadeia Produtiva de Bovinos e Bubalinos (Sisbov) se este sistema não deu certo e será reformulado novamente? Quer dizer que para nós serve? Por que já não usamos um brinco com a inscrição do projeto estadual?”, questiona o produtor Valtamir Luiz Rodrigues, de Braço do Norte.

Segundo o gerente da Cidasc, o brinco é do mesmo padrão de numeração do Sisbov, mas a intenção do Programa de Identificação de Bovinos e Bubalinos (PIB) é diferente. “O Sisbov é voltado para quem quer exportar a carne e o PIB é para garantir a sanidade do rebanho livre de febre aftosa sem vacinação. Precisamos manter este status”, explica Claudemir.

Como a numeração é padrão, os proprietários que quiserem cadastrar-se no Sisbov poderão fazê-lo com facilidade. “Eles precisarão adequar poucas coisas, porque a exigência do Sisbov é grande, mas a nossa também é, só que em alguns aspectos é diferente”, afirma o gerente.