Com o atual cenário vivido com a pandemia pelo novo coronavírus (Covid-19), foi possível identificar uma mudança de comportamento no mundo, assim como uma maior preocupação com relação à segurança e saúde. Esse sentimento também se reforçou ainda mais, especialmente nas instituições de saúde, como é o caso do Hospital São José, em Criciúma.

“A pandemia veio fortalecer medidas que já eram obrigatoriedade na prática hospitalar para evitar infecções, como: higienizar as mãos, utilizar precaução de contato e respiratório com mais intensidade e, com o reforço de Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s) impermeáveis, que não estavam presentes na rotina diária de alguns setores, mas que provavelmente se tornará uma prática na proteção”, enfatiza a enfermeira do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH) do HSJosé, Rita Lindemann.

As precauções com relação aos profissionais da instituição iniciaram antes mesmo do vírus chegar ao Brasil. “Com relação à utilização de EPI’s, por exemplo, antes mesmo de se falar em pandemia mundial, tendo em vista as ocorrências de casos na China, a SCIH junto com o Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT), setor de compras e direção do HSJosé já realizaram uma compra expressiva de EPI’s no mercado. A maioria dos equipamentos destinados hoje às áreas de Isolamento pela Covid-19 já eram utilizados por alguns setores específicos”, esclarece a engenheira de segurança do trabalho do hospital, Regiane Ribeiro Liberato de Jesus.

Prevenção e cuidados constantes
De acordo com Regiane, na instituição, a orientação com relação à importância da utilização, recebimento, guarda e registro dos EPI’s sempre foi uma prática contínua. “Esse cuidado só se intensificou. As orientações e deveres com relação à segurança e saúde devem ser uma prática contínua das instituições, assim como de todos os funcionários, médicos e prestadores de serviço. É por meio da prevenção que conseguimos preservar a segurança e saúde de todos. Esperamos que com o momento vivido a conscientização seja unânime e que essa prática intensa se torne uma rotina. A segurança e saúde é dever de todos nós”, enaltece a engenheira.

A mesma ideia é compartilhada pela enfermeira do SCIH do HSJosé. “O colaborador que utiliza corretamente os EPI’s traz para ele uma segurança em executar suas atividades, e, na situação da pandemia é uma responsabilidade social para evitar a proliferação do vírus. Usar os EPI’s é uma forma de demonstrar responsabilidade por si e pelo outro, é demonstrar amor a sua vida e da sociedade”, garante Rita.