Wagner da Silva
Braço do Norte

Um pedido de informações sobre repasses feitos pelo estado e União deixou indignada a diretoria do Hospital Santa Teresinha, em Braço do Norte. Os membros disseram não à solicitação feita pelo vereador Cleber Manoel da Silva (PP), no mês passado.

O presidente da instituição Edemir Della Giustina justifica que a sociedade Santa Teresinha, mantenedora do HST, não necessita repassar informações, já que trata dos assuntos diretamente com os órgãos de saúde. E lembra que os membros da diretoria não recebem salário serviços prestados.

“Ele expôs o assunto como se estivéssemos agindo de forma irregular. Sugerimos ao vereador que assuma a presidência da entidade de forma voluntária, como é feito hoje, e o desafiamos fazer um trabalho melhor do que o executado nos últimos três anos”, alfineta Della Giustina.

O presidente, que pouco antes da reunião para discutir o assunto, havia posto o cargo à disposição, pede ao vereador analisar a atual gestão. “Façam todos uma análise sobre a administração do HST, os benefícios que conquistamos e os projetos que temos, sempre com o objetivo de melhor atender a população. Quem não apoia esta gestão está contra sua população”, declara.

Cleber amenizou a polêmica, com o argumento de que luta por melhorias na saúde. “Fui mal interpretado. Meu interesse era ter os dados e cobrar auxílio dos representantes”, defendeu-se, ainda em mais. Cleber foi novamente procurado pela redação do Notisul para comentar sobre as declarações do presidente hospital, mas não foi localizado.