Tatiana Dornelles
Laguna

As férias de Adriana Ferrarto José (foto), 45 anos, ficaram marcadas por uma tragédia. Após perder o marido Arguello Ferrarto José, 48, atingido por um raio enquanto caminhava na praia do Mar Grosso, em Laguna, a atendente de supermercado estava com dificuldades para transportar o corpo do esposo para a Argentina, país de origem do casal. Ele não morreu na hora, porém, sofreu uma parada cardiorrespiratória e ficou internado em estado grave no Hospital Socimed, em Tubarão, até a última quarta-feira, quando faleceu.

No fim da tarde desta sexta-feira, ela obteve uma resposta positiva quanto ao traslado do corpo. Isso porque o seu cunhado, na Argentina, conseguiu entrar em contato com alguns governantes de Córdova (província argentina), que resolveram pagar o transporte, no valor de U$S 2,5 mil. O corpo deve chegar na Argentina segunda ou terça-feira.

O Instituto Médico Legal (IML) de Tubarão liberou o corpo de Arguello nesta sexta-feira, que foi levado por uma funerária de Balneário Camboriú para ser embalsamado e, posteriormente, encaminhado ao país vizinho.

Antes, porém, Adriana havia procurado o cônsul do seu país, Alberto Couto, para pedir auxílio, uma vez que teria que pagar U$S 2,5 mil para trasladar o corpo do marido ou contratar um avião sanitário. Ela não tinha condições de pagar o valor. “Mas ele (cônsul) falou que não ajudaria porque não tinha como fazer isso. Estou muito chateada”, conta Adriana, desapontada.

Ainda nesta sexta-feira, a prefeitura de Laguna havia se colocado à disposição para auxiliar Adriana no que fosse preciso. Arguello era pai de três filhas, de 28, 26 e 21 anos.