O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta segunda-feira (10) que se expressou mal ao comparar servidores a parasitas durante uma palestra de defesa da reforma administrativa na última sexta-feira (7). Ele pediu, então, desculpas a quem acabou ofendendo com essa declaração.

 

“Eu me expressei muito mal, e peço desculpas não só a meus queridos familiares e amigos mas a todos os exemplares funcionários públicos a quem descuidadamente eu possa ter ofendido”, afirmou Paulo Guedes em mensagem enviada pelo WhatsApp a alguns jornalistas nesta segunda-feira.

O ministro ainda disse que não estava se referindo aos servidores quando usou o termo parasita, mas a municípios que estão em situação extrema de crise fiscal. “Eu não falava de pessoas, falava dos casos extremos em que municípios e estados gastam todas as receitas com salários elevados de modo que nada sobrava para educação segurança saúde e saneamento”, alegou Guedes. 

O ministro acabou, então, fazendo uma nova analogia do que seria o parasita e o hospedeiro nesta situação. Desta vez, sem citar os servidores. “Se o estado existe para si próprio então é como um parasita (o estado perdulário) maior que o hospedeiro (a sociedade)”, afirmou, reiterando, contudo, que nesta situação não é possível dar reajustes automáticos ao funcionalismo.