Os moradores em situação de rua são os que mais sofrem com a chegada do inverno que se aproxima. A estação mais fria do ano tem início no próximo mês. Assim, itens como agasalhos, colchões, cobertores, alimentos e bebidas quentes são itens emergenciais para amenizar a temperatura mais amena dessas pessoas mais vulneráveis da sociedade.

Em Tubarão, o grupo ‘A fome não espera’, tem realizado algumas ações que vão ao encontro dos mais necessitados. Porém, em época de pandemia de coronavírus as arrecadações de agasalhos e mantimentos para a preparação de marmitas estão escassas.

De acordo com um dos organizadores da iniciativa, Diego Rodrigues, o primeiro passo é exercer o que está a seu alcance. “Reúna agasalhos, toucas, luvas e cachecóis que você e ou sua família não usam mais para distribui-los a pessoas que vivem na rua”, explica.

Sopas, chás, café e outros alimentos e bebidas quentes podem ser uma boa forma de amenizar o frio e a fome daqueles que mais precisam. Também é possível fazer arrecadações em dinheiro para a compra de agasalhos e alimentos destinados à população em situação de rua. A campanha teve início no último dia 15 e o intuito é levantar R$ 1 mil reais. Quem quiser colaborar basta acessar https://voupe.com.br/campaign/view/id/121/Projeto+Fome+N%C3%A3o+Espera.

Os três Estados do Sul, por exemplo, Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul a chegada do frio com força total muitas vezes surpreende habitantes de várias regiões e dispara o alarme sobre a situação da parcela mais vulnerável da população: as pessoas que vivem em situação de rua. Em algumas cidades, a onda de baixas temperaturas provoca a morte de inúmeras pessoas. Com os termômetros que despencam, restam a moradores de rua contar com a solidariedade para tentar se agasalhar.